Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *

Boca do Acre

PORTAL DO PURUS: Dois anos de credibilidade e trabalho sério. PRESIDENTE DA CÂMARA: Oito meses de oportunismo e baixaria

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

O Presidente do Poder Legislativo Alysson Lima disse que o site Portal do Purus é mentiroso e sem credibilidade, pronunciamento dito na tribuna da Câmara Municipal de Boca do Acre, na manhã de terça-feira (4).

Entretanto, esses adjetivos deveriam ser aplicados a quem nos classificou. Leia o texto abaixo e entenda por que.

Histórico da revolta

Em 5 de outubro do ano de 2008, Boca do Acre deu uma verdadeira lição de democracia, de desejo de mudança, de atitude proativa em favor da coletividade. A forma com que a chefe atual do executivo municipal venceu no voto popular foi indiscutível, um fato histórico que vai ficar marcado nas vidas dos bocacrenses, pois foi o momento em que o “Poder Lima” não foi decisivo, que as insatisfações oriundas das mazelas de uma administração elitizada emergiram, fazendo com que a sociedade elevasse ao cargo mais alto, uma pessoa com princípios, com caráter, formação familiar e disposta a fazer o bem pela sociedade.

O Brasil aplaudiu. Entretanto, a derrota não soou bem aos que deixaram de saciar-se nas mamas da velha senhora (prefeitura), cansada de ser explorada e sugada pelos marajás, funcionários fantasmas e rombos gigantescos que esta sofreu durante intermináveis 8 anos. Suas forças foram tão aspiradas, que hoje ela está tentando recupera-se do baque sofrido, sua saúde está seriamente debilitada, mas a injeção de ânimo que está sendo aplicada, dia pós dia, irá reavivar aquela por onde todos passam, mas ela permanece.

Papel do legislativo

Junto com a eleição majoritária, como reza a constituição brasileira, os cargos proporcionais também foram escolhidos. Refiro-me aos edis que adentram à Câmara Municipal de Boca do Acre, com o papel ímpar de fiscalizar o executivo e propor melhorias para a comunidade, tal e qual reza a cartilha do vereador, que atue com responsabilidade social, através da ética, da diligência minuciosa, conhecendo os fatos na sua essência para depois agir com propriedade.

O vereador então é o olho do povo. Dele se espera ação, pautada em princípios administrativos que zelem pelo bem estar social, pela condução saudável de uma administração que tem o foco direcionado à coletividade. Dos que são chamados de Vossa Excelência espera-se condutas morais, íntegras, que se furtam à promoção política e/ou pessoal, sem dar margem à demagogia, pré-requisito para ações populistas, como fez o saudoso Getúlio Vargas.

Rádio Eu e Você: Transparência dos atos ou mecanismo de promoção política e pessoal?

Um ato inédito e a princípio passível de todas as congratulações foi o contrato firmado entre a Câmara Municipal de Boca do Acre, através da sua presidência, exercida por um advogado renomado, e a emissora de rádio de Boca do Acre. Inicialmente essa ação se propôs a mostrar aos munícipes o trabalho do parlamento bocacrense, idéia que foi acordada e elogiada por situação e oposição.

Todavia, o objetivo principal foi sucumbido, dando lugar à real intenção. A Rádio Eu e Você se tornou, desde então, uma verdadeira passarela onde o parlamentar de oposição e presidente da casa, busca a todo custo sua promoção política e pessoal, lançando mão de artifícios não aconselháveis, falando eloqüentemente, com discursos acalorados, dando uma ‘conotação’ de preocupação com a população (tal e qual fazia Vargas).

Na realidade, o que está implícito e ao mesmo tempo explícito é a ânsia de denegrir a imagem do governo, o que serve de trampolim, para por em prática um projeto futuro que ambiciona a cadeira, que hoje é ocupada por alguém que deseja trabalhar com harmonia e em prol de um município sofrido.

A gestão legislativa age com características varguistas, das mais depreciativas. Ou seja, induz o povo a acreditar em falas vazias, pregando uma impressão de honestidade, de luta pela causa coletiva, mas que na sua essência objetiva a ascensão ao poder maior para perpetuar uma ditadura que durou quase uma década e tem clara pretensão de retorno.

Uma parcela da população, que demonstra fragilidade intelectual, se empolga com os gritos e malabarismos, liga o rádio todas as terças-feiras e torce como se o Brasil estivesse na final da Copa do Mundo. Não sabem esses, que estão contribuindo para o empobrecimento político, social e cultural de uma sociedade que demonstrou maturidade, agiu com autonomia há pouco tempo e deu um basta aos atos desumanos exercidos pelo gestor de outrora. Outros, que já acordaram para a realidade, simplesmente desligam seu rádio, por acreditarem piamente que o escarcéu não leva a lugar nenhum, pelo contrário, retroage um caminhar que poderia ser bem mais tranqüilo, rumo ao desenvolvimento acelerado.

Acorde presidente, descrédito quem sofre é “Vossa Excelência”, sua imagem está depreciada, pois o povo não acredita mais em ator e a época das novelas transmitidas pelo rádio já se foi.

Vereança desvirtuada: “Disse-me disse”

Além do “show” individual, o oposicionista está dando uma aula de como não ser um vereador. O mesmo está se utilizando da tribuna, um espaço privilegiado para afirmações e acusações graves, que estão fundamentas no “ouvi dizer”, sem comprovações, sem a ciência da verdade, se apurar os fatos. Isso é uma oposição responsável?

O dirigente da casa tem na sua formação a atitude investigativa, como jurista que alcançou status por conta de um trabalho digno, mas, diante de toda bagagem, interroga-se: Por que o mesmo age como se fosse um principiante? Acusando sem provas, como fez com o Banco do Brasil? É estratégia populista?

Harmonia desejada pelos poderes

A prefeita Maria das Dores sempre desejou harmonia entre os poderes, assim como toda a população. No entanto, esse desejo não está sendo possível por conta da sede e revolta dos que submergiram à vontade popular e continuam o processo de queda, pois discursos sem fundamentos, com o propósito de fazer o marketing pessoal está sendo um tiro no próprio pé. Está se tornando enjoativo, enfadonho, degenerativo, sem propósito social, faça diferente Presidente, una-se e lute por uma Boca do Acre próspera.

Acredite Sr. Presidente, muito ajuda aquele que não atrapalha.
 

 

 

Designed by ABCMIX Joomla Site Designer - 2015