Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *

TCE-AM reprova contas de ex-prefeito Adail e aplica multa superior a R$ 16 milhões

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Contas são referentes ao exercício do ano de 2007 da Prefeitura de Coari; a outros responsáveis foram aplicadas multas e glosas que ultrapassam os R$ 6 milhões


O pleno do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) julgou irregular a prestação de contas, referente ao exercício de 2007, do ex-prefeito de Coari Adail Pinheiro, durante 41ª Sessão ordinária do órgão, realizada na manhã desta terça-feira (28). De acordo com o relator do processo, auditor Mario Filho, com o ex-prefeito Adail Pinheiro ainda foram consideradas revéis e condenadas pessoas físicas e empresas envolvidas em irregularidades em obras e serviços de engenharia.

Ao ex-prefeito, o colegiado aprovou que fossem aplicadas multa e glosa que somam mais de R$ 16 milhões e aos outros responsáveis foram aplicadas multas e glosas que ultrapassam os R$ 6 milhões.

Algumas das irregularidades encontradas e que levaram a condenação do ex-prefeito são aquisição de combustível em valor superior a R$ 4 milhões sem comprovação de que a despesa foi realizada; e a falta de comprovação para pagamento de despesa a título de produção, promoções e organizações de eventos também com valor superior a R$ 4 milhões.

O prazo para devolução aos cofres públicos é de 30 dias, em caso de não recolhimento dos valores da condenação, os condenados serão autuados de cobrança executiva visando à perseguição dos numerários, realizando-se as atualizações monetárias nos termos da lei.

Regular com ressalvas

Ainda durante a sessão foi a julgamento a prestação de contas do gestor do Programa de Desenvolvimento Urbano e Inclusão Socioambiental de Manaus (PROURBIS), referente ao exercício de 2011, Américo Gorayeb. O colegiado aprovou com ressalvas as contas do gestor, não houve aplicação de multa e foi recomendado que o órgão evite desequilíbrio entre ativo e passivo do balanço financeiro e que demonstre com fidelidade a gestão contábil da unidade gestora; e que sejam observadas atentamente as normas dispostas na legislação vigente, quando forem realizadas contratações de terceiros para execução de obras ou prestação de serviços.

Curta nossa página no Facebook

Designed by ABCMIX Joomla Site Designer - 2015