Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *

Exportação de carne suína para o Peru é adiado para janeiro

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Após conversa entre os ministério de Agricultura do Brasil e Peru, ficou decidido que fica adiado a assinatura do termo de autorização da exportação de carne suína para o país andino. A ação deve ocorrer em janeiro do próximo ano.

Nesta semana, o governador Tião Viana esteve em Brasília reunido com o ministro de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) Blairo Maggi. Os dois trataram desse processo de abertura do mercado peruano para a carne suína brasileira, principalmente a produzida no estado do Acre.

O Mapa explicou, nesta quarta-feira, 29, que o adiamento se deu por questão de logística das equipes de inspeção dos dois países. Questão que em breve será resolvida, fazendo com que a assinatura do termo seja feita já no começo de 2018.

Diálogos

Essa ação é fruto da persistência do governador, que reiteradas vezes, desde o começo do ano, tem buscado junto ao Mapa avanços no diálogo com os vizinhos Peru e Bolívia.Após missão aos dois países, em setembro deste ano, o Mapa anunciou a liberação da exportação do produto brasileiro.

Segundo o diretor da Dom Porquito, Paulo Santoyo, com a liberação desse comércio, haverá um aumento de quatro a cinco vezes da produção local. Com isso, os produtores têm agora mais uma segurança, pois possuem um produto de qualidade e com mercado garantido.

O governador pediu aceleração também para a liberação desse comércio com a Bolívia.

A indústria

O projeto Dom Porquito foi criado em 2011, durante o primeiro mandato do governo de Tião Viana, em uma iniciativa que ajudaria a consolidar um novo modelo econômico no Acre: a parceria público-privada-comunitária. A empresa é uma Sociedade Anônima em que a Agência de Negócios do Acre tem 37% das ações e os demais acionistas, 63%. Os investimentos, só no frigorífico foram R$ 62 milhões, enquanto o complexo todo já englobou cerca de R$ 86 milhões.

Os agricultores familiares, organizados em uma cooperativa, são responsáveis por realizar a engorda e cuidados para o crescimento do animal, que seguirá para o abate. A ração e orientações técnicas são fornecidas pela empresa.

Curta nossa página no Facebook

Designed by ABCMIX Joomla Site Designer - 2015