A Arte de perdoar

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Perdoar não quer dizer fingimento, nem fechar os olhos às falhas dos outros. Vejo o perdão se materializando por intermédio de uma Permissão.

gilmar
FOTO: GILMAR

O que é o perdão? Acredito que poucas pessoas são capazes de se perguntar a este respeito. Será mesmo que sabemos as respostas sobre o verdadeiro sentido do perdão? Por que nos dias de hoje o perdão tem se transformado em algo raro e precioso? No meu entender o ego é o grande responsável pela escassez desta forma de amar - o perdão. O ego cresceu e endureceu o coração, criando inúmeras barreiras ao perdão, literalmente fechando a visão para o amor mais puro que é aquele que não busca benefícios próprios.

Segundo o dicionário, perdoar é se livrar de uma culpa, de uma ofensa ou dívida. O Cristianismo prega que devemos perdoar para remissão dos pecados, pois é “perdoando que se é perdoado”. Eis aqui uma grande verdade. Mas que infelizmente não se é praticada como deveria ser, como disse antes, poucos os fazem. Talvez seja esta a explicação para o enrijecimento do ego. Pois entendo que o verdadeiro perdão é aquele ato de amor puro que queima qualquer ódio, rancor ou ressentimento que possa se ocultar dentro de nosso mais íntimo Ser. Neste caso o perdão se transmuta em uma extraordinária ferramenta do amor.

Quando perdoamos abrimos mão e deixando ir embora qualquer tipo de ressentimento que possa existir oriundo de uma ofensa ou prejuízo financeiro. Neste primeiro caso, a ofensa, sempre que alguém nos ofender/agredir verbalmente, o silêncio interior aliado ao sentimento de amor para com aquele que ora nos agride já se torna a mais pura forma de amor, que naturalmente submerge do perdão.

Perdoar não irá nos deixar menos inteligentes e nem significa dizer se tornar um capacho, ou também guardar dentro de nós. Não se trata disso. Perdoar é algo mais profundo e devemos fazer uso de nossa razão e discernimento para esta Arte, que é o ato de Perdoar.

Perdoar não quer dizer fingimento, nem fechar os olhos às falhas dos outros. Vejo o perdão se materializando por intermédio de uma Permissão. Sim, isso mesmo, permitir que as coisas aconteça. Permissão é uma Lei Natural da vida, que dá suporte a toda a existência. Quando permitimos e passamos a aceitar algo interior muda e se alinha ao desejo de nosso Pai. Que sempre permitiu a seus filhos o livre-arbítrio, o direito absoluto de escolha. E neste caso podemos escolher perdoar ou passar a reclamar da vida e maldizer o próximo pelo mau que nos cerca, tornando a vida ainda mais difícil e dura para nós mesmos. Nesse caso nem nos damos conta que nós mesmos estamos dificultando a nossa vida, seja profissional ou pessoal.

Em meu ponto de vista, perdoar não significa dizer que não poderemos cobrar uma dívida, sim podemos. Mas esta cobrança deve ser discreta e com resiliência, em um momento justo e propício. Para isto devemos fazer uso da razão que é a nossa capacidade interior de julgamento.

E deste modo sejamos jardineiros da permissão e do perdão. Em pró de um mundo melhor, mais justo e harmonioso. Neste jardim somente o amor irá florescer e dar frutos saborosos que engrandecem nosso sentido de viver.

Fico por aqui e desejo a todos Paz e saúde.

LEIA TAMBÉM:

Curta nossa página no Facebook

Designed by ABCMIX Joomla Site Designer - 2015