Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *

Boca do Acre

Prefeitura inicia trabalho de limpeza das ruas de Boca do Acre

Avaliação do Usuário

Star inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactive

O serviço vem sendo realizado desde que o rio começou apresentar sinal de vazante


limpeza das ruas de boca do acre
Foto: Edigley Melo

A Prefeitura de Boca do Acre iniciou o trabalho de limpeza das ruas no bairro de Praia do Gado, na manhã deste sábado (28), nas áreas atingidas pela enchente dos rios Acre e Purus. Uma equipe de trabalhadores da Secretaria Municipal de Obras faz o trabalho sem data prevista para encerrar. Para a realização do serviço estão sendo utilizadas retroescavadeira e caçambas.

O secretário de Obras, Edigley Melo, que está no local acompanhando os trabalhos, adiantou que o serviço está sendo realizado pela prefeitura desde quando o nível do rio começou a baixar. Outros pontos da cidade serão limpos no decorrer da semana.

“Estamos fazendo o monitoramento do nível do rio desde quando ele começou a dar os primeiros sinais de vazante”. As áreas onde as águas baixaram primeiro, já estão recebendo as primeiras intervenções, disse Melo.

Siga-nos no Twitte e no Facebook

Iran Lima é reeleito presidente da Associação Amazonense de Municípios

Avaliação do Usuário

Star inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactive

O prefeito de Boca do Acre (AM), Iran Lima (PSD) foi reeleito, por aclamação, para a presidência da Associação Amazonense de Municípios (AAM), em eleição realizada na manhã desta sexta-feira (27), no auditório Senador João Bosco, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). A nova diretoria vai administrar a instituição pelo biênio 2015/2017.

Eleição AAM
Eleição foi realizada na manhã desta sexta-feira, no auditório Senador João Bosco, na Assembleia Legislativa



A chapa encabeçada por Iran Lima foi a única inscrita para esta eleição e 20 prefeitos participaram da votação. Além do prefeito de Boca do Acre, compõem a nova diretoria o prefeito de Itamarati, João Campelo (PROS) (vice- presidente); de Juruá, Tabira Ramos Dias Ferreira (PSD) (1° secretário); de Carauari, Francisco Costa Dos Santos (PSD) (2° secretário); de Manicoré, Lúcio Flávio do Rosário (PSD) (1° tesoureiro) e de Anori, Sansuray Pereira Xavier (PSD) (2º tesoureiro).

Após o pleito, o vice-presidente João Campelo declarou que o presidente Iran Lima pretende fortalecer a AAM, intensificando sua atuação junto aos municípios, assessorando nas prestações de contas e elaboração de projetos. “Conversamos e vamos fazer o melhor pelos municípios do Amazonas” ratificou Campelo.

Associação Amazonense de Municípios

A Associação Amazonense de Municípios (AAM) é uma sociedade civil de âmbito estadual, sem fins lucrativos, com sede e foro em Manaus. É filiada à Confederação Nacional de Municípios (CNM) e promove a articulação e mobilização em defesa dos interesses dos municípios amazonenses, assim como fortalecer o movimento municipalista.

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Em Boca do Acre rios baixam 8 cm

Avaliação do Usuário

Star inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactive

Apesar da vazante, grande parte da zona urbana continua encoberta pelas águas dos rios Acre e Purus


cheia boca do acre

Nas últimas 24 horas, os rios Acre e Purus tiveram uma significativa baixa em relação às medições dos dias anteriores. Para quem estava mantendo uma média de vazante de 2 cm por dia, de ontem, quarta-feira (25), para hoje, quinta-feira (26), a baixa das águas fez o nível sair de 20,14 metros para 20,06 metros.

Boca do Acre ainda está em estado de calamidade pública, com quase 70% das pessoas do município afetadas pela cheia de 2015, uma das maiores da história do município.

Mesmo com a diminuição apontada na medição, as águas continuam tomando conta de grande parte da zona urbana. O bairro mais afetado é o Praia do Gado, que teve quase a totalidade de suas ruas encobertas pelas águas do rio Purus.

No abrigo mantido pela Defesa Civil Municipal, os números são os mesmos.

Famílias afetadas na zona urbana: 4.242
Pessoas afetadas na zona urbana: 16.719
Famílias afetadas na zona rural: 1.382
Pessoas afetadas na zona rural: 5.860
Total geral de famílias afetadas: 5.626
Total geral de pessoas afetadas: 22.305

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Voltou atrás: Iran Lima deve ser reeleito presidente da AAM amanhã

Avaliação do Usuário

Star inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactive

O prefeito afirmou, através da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Boca do Acre que voltou atrás na sua decisão em razão de não haver candidato que concorresse ao cargo


iran lima

Na manhã de hoje, quinta-feira (26), nosso primeiro assunto foi falar da desistência do prefeito de Boca do Acre, Antonio Iran de Souza Lima, de disputar a reeleição ao cargo de presidente da Associação Amazonense dos Municípios.

A informação nos foi repassada pela Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Boca do Acre, que ainda justificou a desistência de Iran Lima, dizendo que o prefeito tinha a intenção de ficar mais tempo no município para a reconstrução depois da catástrofe ambiental de 2015.

No entanto, às 13 horas do mesmo dia de hoje, recebemos a informação de que Iran Lima está em Brasília, na capital federal, e será reeleito presidente da AAM na eleição que será realizada amanhã, sexta-feira (27).

Fizemos contato novamente com a ASCOM/PMBA, para saber a respeito do fato e a mesma confirmou que o prefeito retrocedeu na ideia de não ser mais presidente da instituição. Ainda de acordo com a assessoria de comunicação, o prefeito voltou atrás na sua palavra por não existir outro candidato ao cargo.

Antes, a mesma assessoria informou que o candidato seria o prefeito do município de Juruá, Tabira Ferreira.


Leia também

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Iran Lima garante que não vai tentar reeleição na AAM

Avaliação do Usuário

Star inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactive

“Quero me dedicar mais ao município. Depois dessa enchente, teremos muito trabalho para recuperar nossa cidade".


iran lima
Foto: Em Tempo

O prefeito de Boca do Acre e atual presidente da Associação Amazonense dos Municípios, Antonio Iran de Souza Lima, decidiu não participar das eleições da mesa diretora da instituição. Iran preside a AAM desde 2013, quando foi aclamado por não haver chapa contrária para que houvesse o certame.

Através da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Boca do Acre, o prefeito disse que sua decisão é em razão de querer dar mais atenção ao município. No lugar do prefeito de Boca do Acre, quem vai concorrer ao cargo de presidente da AAM é o prefeito Tabira, gestor do município de Juruá, que atualmente é o 1º Secretário da atual mesa diretora da instituição.

“Quero me dedicar mais ao município. Depois dessa enchente, teremos muito trabalho para recuperar nossa cidade, que terá atenção redobrada para recuperar os danos causados pela cheia”, declarou o prefeito.

Eleição é amanhã

O edital publicado pela AAM convoca para Assembleia Geral Extraordinária, a ser realizada no dia 27 de março de 2015, às 9h00min, no Auditório Senador João Bosco na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas – ALEAM, em Manaus/AM.

Nesta assembléia, haverá eleição para os cargos do conselho diretor, eleição para os cargos do Conselho de Vice-presidentes Regionais e a realização de eleição para os cargos do Conselho Fiscal

Votantes: Prefeitos dos municípios que se encontram adimplentes com suas contribuições com a AAM, na forma do Artigo 28º do Estatuto Social;

Habilitação: Habilitam-se como candidatos ao pleito, todos os Prefeitos e Ex-Prefeitos (§ 2º do Artigo 17 do Estatuto Social), desde que cumprida a exigência do item anterior;

Não poderão habilitar-se aos cargos eletivos do Conselho Diretor, os Prefeitos e Ex-Prefeitos que estiverem impedidos de seus direitos civis e políticos, forem condenados por órgão colegiado, por decisão transitada em julgado em processo de irregularidades na gestão de recursos públicos, que tenham sido alvo de cassação de mandato e de inelegibilidade de mandato (§ 4º do Artigo 17 do Estatuto Social);

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Secretaria de Obras fecha Desvio para tráfego de veículos pesados

Avaliação do Usuário

Star inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactive

A intenção da Secretaria de Obras é preservar o pavimento de uma das principais avenidas de Boca do Acre


A rua Oscar Moreira, conhecida como  Desvio, é uma via de grande fluxo de veículos e é o principal elo de ligação entre a Cidade Baixa e o Platô do Piquiá. Apesar de estar totalmente submersa, os veículos, principalmente os de grande porte, continuaram trafegando pelo Desvio, deixando o pavimento sensivelmente prejudicado.

A Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Boca do Acre informou que a Secretaria Municipal de Obras e Transporte tomou a decisão de fechar a Rua Oscar Moreira para o tráfego de veículos pesados. Caminhões trucos, tocos e três quartos estão proibidos de passar pelo local. A justificativa do chefe da pasta de Obras, Edygley Melo, é o fato de o peso dos veículos deteriorarem o concreto que foi recentemente colocado.

Lentidão da vazante é angustiante

O bocacrense está angustiado com a velocidade da vazante. Depois de atingir a cota máxima de 2015 de 20,40 metros, desde que começou a baixar o nível das águas no dia 13 de março, até o momento a descida das águas não atingiu sequer meio metro.

A cheia ainda não deu trégua em Boca do Acre. De acordo com a Marinha do Brasil, o nível das águas dos mananciais que margeiam a cidade continuam apresentado oscilações. Domingo (22), a cota era de 20,14, subindo 1 centímetro no dia seguinte, segunda-feira (23), baixando para a cota de 20,12 na terça-feira (24) e, na manhã de hoje, quarta-feira (25) os rios voltaram a evoluir para a cota de 20,14 metros.

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Boca do Acre receberá R$ 550 mil para ações de socorro

Avaliação do Usuário

Star inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactive

O município registra escassez de água potável e de alimentos.
Cheia afeta mais de 20 mil pessoas no município.


cheia boca do acre
Foto: A Crítica

uma das cidades mais afetadas pela cheia no Amazonas, receberá o repasse de R$ 550 mil para ações de socorro às famílias afetadas e reestabelecimento de serviços essenciais. A assinatura do convênio que autoriza o repasse ocorreu nesta terça-feira (24), entre representantes da cidade e a Defesa Civil do Estado. O município está em Estado de Calamidade Pública em decorrência da subida das águas no Rio Purus. Em todo o Amazonas, 13.685 famílias estão sendo afetadas pela cheia deste ano. Dez cidades estão em emergência.
Na cidade, famílias enfrentam escassez de água potável e de alimentos. No total, mais de 20 mil pessoas já foram afetadas no município, o equivalente a pouco mais de 70% da população, segundo a Defesa Civil. Em razão dos alagamentos, serviços essenciais como escolas, postos de saúde e central de abastecimento de água permanecem paralisados.

O órgão informou que mais de 47 toneladas de ajuda humanitária, entre alimentos não perecíveis, kits medicamentos, kit’s dormitórios, kit's higiene pessoal, água potável, hipoclorito de sódio, filtros de água foram enviados à cidade. Barracas de emergência também foram construídas no município. Atualmente, 71 famílias estão nos alojamentos.
A situação de Calamidade em Boca do Acre foi reconhecida pelo Governo Federal no dia 18 deste mês. De acordo com a Defesa Civil, o nível do Rio Purus na cidade registrou 20,14 metros nesta terça. No ano passado, quando a cidade também decretou Estado Calamidade Pública, o nível máximo chegou a 19,48m. Além do Rio Purus, o município sofre influência da cheia do Rio Acre, no Acre, que também tem cidades em estado de calamidade por conta da subida das águas.

Cheia

Ao todo, dez cidades estão em situação de emergência em decorrência da cheia dos rios no interior do estado. Boca do Acre está em situação de calamidade pública.
O número de famílias afetadas em todo estado é de 13.685 nesta terça-feira (24), segundo informações da Defesa Civil do Amazonas.

Na Calha do Rio Juruá, as cidades em situação de emergência são: Itamarati, Guajará e Ipixuna. Os municípios de Eirunepé e Envira também estão em situação emergencial. Já na Calha do Rio Purus, as cidades amazonenses afetadas pela cheia são Canutama, Tapauá, Carauari e Paunini.

Na região do Alto Solimões, há cinco cidades em alerta: Tabatinga, São Paulo de Olivença, Santo Antônio do Içá, Tonantins e Benjamin Constant. Humaitá, que é banhada pelo Rio Madeira, também está em alerta.

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Taxistas desfazem protesto após garantia do prefeito

Avaliação do Usuário

Star inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactive

O Prefeito de Boca do Acre prometeu retirar as nove placas que estão irregular.


Depois de conversa com o prefeito de Boca do Acre, o presidente do Sindicato dos Taxistas de Boca do Acre, Francisco Freire, decidiu encerrar o protesto. De acordo com Freire, o prefeito Iran Lima prometeu que vai retirar as nove concessões provisórias dadas desde o ano passado. Essa não é a primeira vez que os taxistas se levantam contra as emissões de placas além da quantidade que foram estabelecidas em lei, pois, em 2014, os profissionais do volante ameaçaram se manifestar depois que a Prefeitura distribuiu cinco concessões.

O protesto

Na manhã de ontem (24), mais de 60 taxistas se reuniram na altura do km 04 da Estrada do Piquiá e bloquearam o trecho. O protesto iniciou por volta das 7 horas da manhã e até meio dia o prefeito não tinha aparecido no local para negociar com os taxistas. No local a maioria das pessoas apoiava a causa, mas se mostravam indignadas pelo fato de não poder passar com os veículos.

Prefeito se nega a receber comissão

Os vereadores de oposição Adautivo da Silva, Marineide Fernandes, Jardemir Barbosa e Roberto da Caçamba estiveram no local e, percebendo que a população estava sendo a principal prejudicada, formaram uma comissão, com mais quatro taxistas para irem ao encontro do prefeito e falar sobre o assunto.

Segundo informações do vereador Adautivo da Silva, o prefeito se negou a receber os vereadores e os taxistas. Após mais duas tentativas, o prefeito aceitou receber apenas o presidente dos taxistas, pondo fim ao protesto.

Entenda o caso

Em 2013, a lei 04/2006, teve o Art. 2º e Parágrafo 2º modificados, alterando a quantidade de concessões emitidas pelo município e o tempo que seria dado para novas concessões pudessem ser dadas. De acordo com o dispositivo legal, ficou fixado em 131 concessões, que não poderiam ser alteradas durante os próximos 15 anos. Entretanto, desde o ano passado que a Prefeitura começou a distribuir novas placas. Em 2015 o número chegou a 9, o que serviu de estopim para a deflagração do protesto.

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Protesto reúne mais de 60 taxistas na Estrada do Piquiá

Avaliação do Usuário

Star inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactive

Os taxistas pedem que o prefeito revogue as nove concessões dadas pela Prefeitura de forma irregular.


Taxistas bloqueiam Estrada do Piquiá
Taxistas bloqueiam Estrada do Piquiá

A classe dos taxistas de Boca do Acre cumpriu mais uma vez o prometido e deu início ao seu protesto bloqueando a Estrada do Piquiá, na altura do km 04. O protesto foi iniciado na manhã desta terça-feira (24), por volta das 7 horas e a reivindicação dos profissionais do volante é que o prefeito Antonio Iran de Souza Lima cumpra com a Lei Municipal nº 04 de 2006, no seu Artigo 2º e Parágrafo 2º, que estabelece a quantidade máxima de concessões em 131. De acordo com o Sindicato dos Taxistas de Boca do Acre, o mandatário passou por cima do dispositivo legal e já distribuiu mais 9 concessões, motivo do protesto.

Por enquanto o bloqueio está acontecendo de forma pacífica, com alguns momentos de alteração. A população está dividida, apoiando os taxistas mas reclamando do fato de não poderem seguir viagem por conta da barreira.

A Polícia Militar está no local para manter a ordem. De acordo com o Capitão da Polícia Militar Carlos Malheiros, a única solicitação feita à liderança do protesto é que deixem os carros oficiais com passagem livre.

Até ao meio dia o prefeito não havia comparecido ao local para negociar com os manifestantes, que se dizem irredutíveis na sua proposta de querer que o mandatário respeito a lei e revogue as concessões irregulares.

O vereador Adautivo da Silva fez contato com a redação do Portal do Purus dizendo que uma comissão de parlamentares irá procurar o prefeito para que tudo fique acertado e a população não seja a grande prejudicada.

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Bocacrenses pagam até 18 reais por dia no trajeto Boca do Acre/Piquiá

Avaliação do Usuário

Star inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactiveStar inactive

Se para a maioria a cheia gera transtornos, para os catraieiros significa ganho financeiro com o transporte


Orla Fluvial de Boca do Acre, em frente ao Mercado Municipal, no Centro da Cidade, repleto de catraias a espera de passageiros
Orla Fluvial de Boca do Acre, em frente ao Mercado Municipal, no Centro da Cidade, repleto de catraias a espera de passageiros

Há exatos 20 dias que o bocacrense começou a pegar e a pagar dois meios de transporte por dia para poder se locomover. Quem precisa ir ao Platô do Piquiá, tem que pegar uma catraia ir até o porto da Fortaleza, pegar um táxi e finalmente chegar ao destino. O problema não é pegar dois meios de transporte para concluir o itinerário, é preço que se pagar para ir e vir.

Os preços são variados, dependendo do lugar de origem. Se a catraia sai do Centro da Cidade ou do bairro Praia do Gado, o preço varia de 4 a 5 reais. Esse preço pode ficar mais salgado se o veículo for uma de deslocamento rápido, no caso de uma lancha voadeira, que por consumir mais, o preço cobrado ao passageiro também chega a ser maior.

Chegando ao porto da Fortaleza, o indivíduo pega um táxi-lotação que cobra o preço de 4 reais para ir até a cidade alta. Em alguns casos já tivemos depoimentos de taxistas que cobram 5 reais se a lotação não estiver completa.

Isso significa que para ir e volta do Piquiá, cada pessoa pode chegar a pagar até 18 reais. Se essa viagem for feita durante os cinco dias úteis, o valor vai para 90 reais. Para os servidores públicos do município, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura disponibiliza transporte fluvial e terrestre.

Alguns que precisam trabalhar na parte alta da cidade preferem passar pelos locais alagados à pé, do que ter que pagar esse valor exorbitante diariamente.

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Designed by ABCMIX Joomla Site Designer - 2015