Artigos

Agência Espacial Europeia faz documentário especial sobre Boca do Acre

European Space Agency, em português, Agência Espacial Europeia – ESA -, mostrou no seu canal online, uma reportagem especial sobre o município de Boca do Acre.


São imagens de satélite, capturadas da zona rural do território bocacrense, que tem como finalidade precípua, mostrar a densidade verde da Amazônia e evidenciar a questão do desmatamento.

Assista ao vídeo

A reportagem está em inglês, sem legenda e sem dublagem, entretanto, as informações expostas pela apresentadora podem ser compreendidas através do texto abaixo do vídeo.



Terra vista do espaço é apresentado por Kelsea Brennan-Wessels das ESA Web-TV estúdios virtuais. Na octogésima sexta edição, exploramos Boca do Acre no Brasil ocidental.

Esta imagem radar Envisat foi adquirida sobre a cidade de Boca do Acre no Brasil ocidental.

A cidade fica no interior do Estado do Amazonas, o maior estado brasileiro em área, e quase completamente coberto pela Floresta Amazônica.

Esta cena é uma compilação de três imagens de radar do Envisat, adquirida em 28 de outubro de 2005, 12 de setembro de 2008 e 17 de Setembro de 2010. As imagens individuais são cada atribuída uma cor - vermelho, verde e azul - e quando combinados, revelam mudanças na superfície entre passes do Envisat.

Nesta imagem, as cores revelam grandes áreas de desmatamento - evidente pela grande parcela, formas geométricas recortadas ao longo de estradas lineares.

Dada a sua dimensão e cobertura de nuvens frequente, sensoriamento remoto usando imagens de radar é a melhor maneira de estudar a Bacia do Amazonas em grande escala, especialmente para avaliar a extensão e os danos devido ao desmatamento. Radares podem observar durante o dia e à noite e através de quaisquer condições meteorológicas.

Observações de satélite também apoiar Reduções de Emissão das Nações Unidas por Desmatamento e Degradação Florestal nos países em desenvolvimento, ou REDD, iniciativa.

As árvores absorvem dióxido de carbono e convertê-lo em oxigênio, enquanto que árvores apodrecem, são derrubadas ou queimadas realmente emitem dióxido de carbono. Assim, a preservação das florestas não só os impede de libertar o gás, que assegura a absorção de dióxido de carbono a partir de outras fontes.

REDD dá um incentivo financeiro para os países em desenvolvimento para manter áreas florestadas. Reduzir ou evitar o desmatamento é a opção de mitigação do impacto do estoque de carbono maior e mais imediato, a curto prazo, como a liberação de carbono, como as emissões para a atmosfera é impedida.

Próximos missões, tais como Sentinel-1 e -2, sendo desenvolvido para o programa Copernicus da Europa, bem como a biomassa de satélite da ESA, irá apoiar REDD no mapeamento e monitoramento da floresta.

Siga-nos no Twitter e no Facebook

PM prende mais dois acusados de tráfico de droga

Nas duas prisões, a polícia encontrou 37 porções de cocaína e pasta à base de cocaína.


agenildoNos dias 19 e 21 de dezembro, a Polícia Militar tirou de circulação mais dois indivíduos acusados de tráfico de droga. O primeiro que caiu nas garras da patrulha da PM foi Agenildo Moura da Silva, 27 anos, vulgo ‘Baixinho’ e com ele a polícia encontrou 17 ‘dolinhas’ de cocaína, R$ 50,00 em dinheiro e 03 celulares.

Agenildo foi preso durante policiamento de rotina, depois que a guarnição abordou dois usuários. No instante da abordagem e do flagrante em razão de os dois estarem em posse de 05 dolinhas, eles disseram ser usuários e ter adquirido o material entorpecente com um sujeito apelidado de ‘Baixinho. De pronto, a guarnição se deslocou para a residência do acusado e durante o trajeto encontrou um terceiro usuário, que após ser revistado também foi flagrado em posse de 03 dolinhas de cocaína, o qual também informou ter comprado de Baixinho.

A polícia foi até a residência do suposto traficante e, chegando lá, encontrou mais 09 dolinhas da mesma substância. De imediato o acusado foi conduzido a Delegacia Interativa de Polícia – 61ª DIP para os procedimentos cabíveis.

Participaram da operação o sargento Waldson e os soldados, Idalgo, Góis, E. Leite, M. Neves e Leandro Almeida.

Segunda prisão

Romário Felipe ArcanjoA segunda prisão ocorreu dois dias depois da primeira. No dia 21, por volta das 15 horas, a PM prendeu Romário Felipe Arcanjo, 19 anos, foi preso dentro da própria casa sob a acusação de tráfico de droga. Assim, como outros tantos traficantes, Romário usava a própria residência como ponto de venda de droga. O local da operação foi na rua BL 11, no Platô do Piquiá.

A polícia recebeu denúncia anônima de que no endereço acima mencionado estaria havendo venda de droga. Ao chegar ao local, a polícia constatou a veracidade das denúncias e encontrou com Romário 20 trouxinhas de pasta à base de cocaína, R$ 103,00 em espécie e 02 celulares. Romário foi conduzido a Delegacia Interativa de Polícia – 61ª DIP para os procedimentos cabíveis.

Participaram da operação o sargento Edilson Sena, o cabo J. Fernandes, e os soldados A. Junior e Alércio.

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Operação prende ‘mula’ com 2 quilos de droga

O transportador iria ganhar R$ 500,00 para realizar o transporte da droga entre Rio Branco-Ac e Boca do Acre-Am


faguinhoUma operação conjunta das polícias Civil e Militar prendeu na tarde de ontem, segunda-feira (22) Antonio José Vale de Souza, 23 anos, conhecido como ‘Faguinho’. A ação integrada das polícias se deu após denúncias anônimas, de que estaria chegando à cidade de Boca do Acre um carregamento de droga pela BR-317. O delator deu as características do veículo e, de posse dos informes, a Polícia Militar montou barreira na altura do km 42, no sentido Boca do Acre-Am/Rio Branco-Ac e começou a abordar todos os veículos que passavam, no intuito de comprovar as delações.

Estratégia dos traficantes

De acordo com o investigador de Polícia Civil, Luciano Sena, a barreira policial foi montada nesse local em razão de uma estratégia que foi adotada pelos traficantes. Luciano explica que os transportadores trazem a droga e deixam em algum lugar na estrada, escondida no meio do mato, para depois alguém ir até o ponto onde o material foi deixado, coletar e trazer para cidade para ser comercializado.

O fato

Voltando para a operação, Luciano narrou que um determinado veículo não foi parado na barreira, mas os policiais perceberam que um dos ocupantes demonstrou atitudes suspeitas. De imediato, os policiais avisaram o cabo Edilson Sena, que por sua vez comunicou o fato à Polícia Civil, foi quando ambas as forças de segurança saíram e montaram nova campana na entrada da cidade, à espera do veículo com o passageiro suspeito.

Quando o carro descrito foi avistado pela segunda guarnição, os policiais ordenaram para que parasse o veículo e foi dado início à varredura no automóvel e nos ocupantes.

Droga na mochila

Os policiais revistaram a mochila de Faguinho e encontraram três grandes volumes, pesando aproximadamente 2 quilos, metade de maconha em barra e a outra metade em oxi, que serve de matéria-prima para a produção de pasta à base de cocaína.

De acordo com o investigador, a porção de oxi iria render pelo de 150 a 200 pacotes de pasta à base de cocaína, e que somente um desses pacotes é vendido a 150 reais, fazendo as contas, a polícia criou um prejuízo de pelo menos R$ 22.500,00 para o traficante.

Mentiu para a família

No primeiro depoimento dado à polícia, o acusado disse que a droga não seria vendida por ele, e que ele teria ido fazer a viagem somente para transportar a droga, servindo de ‘Mula’. Para a família, Faguinho contou que iria fazer uma viagem rápida para prestar serviço como diarista em uma fazenda da região. O ‘mula’ ainda levou a polícia até o local aonde o receptor iria pegar a droga, mas o indivíduo não estava no ponto de entrega.

A polícia não quis revelar o nome do destinatário do material para não atrapalhar as investigações, mas adiantou que se trata de mais um traficante conhecido na cidade.

Alerta

Luciano alertou a população dizendo que os traficantes estão aliciando pessoas que não levantam suspeitas para o transporte interestadual da droga. Faguinho é um exemplo clássico, pois é uma pessoa de bem e que não levantaria suspeitas e, para o serviço, ele iria receber R$ 500,00. Sena disse que os mais procurados são aquelas pessoas que não têm histórico de envolvimento com ilicitude e advertiu que quem for pego transportando droga, mesmo que não seja sua, irá ser enquadrado no crime de tráfico de droga, da mesma forma de um traficante.

A pena é de 5 a 15 anos de reclusão. O artigo 33, da Lei 11.343/2006, a Lei de Drogas, cita: “importar, exportar, remeter, preparar, produzir, fabricar, adquirir, vender, expor à venda, oferecer, ter em depósito, transportar, trazer consigo, guardar [...]”.

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Polícia Militar apreende sete celulares dentro da delegacia

Denúncias levaram a PM a fazer a varredura e encontrar os aparelhos telefônicos em posse dos detentos


celular apreendidoA Polícia Militar realizou na última sexta-feira (19) uma varredura no interior da Delegacia Interativa de Polícia – 61º DIP. A ação foi encabeçada pelo 2º Tenente Miquéias Mariano, que adentrou ao recinto prisional na companhia de mais quatro policiais militares, fazendo a revista geral em todos os cômodos e em todas as possibilidades que os detentos têm de esconder um aparelho telefônico ou qualquer outro material que não deveria estar dentro das celas.

O resultado da operação foi a apreensão de sete aparelhos telefônicos. Através de um smartphone, um dos presos mantinha conversações pelo whatsapp com pessoas que estavam fora da delegacia. Em um determinado momento, quando os aparelhos já estavam em posse dos policiais, um deles tocou e foi atendido pelo Cabo Edilson Sena, mas do outro lado da linha ninguém se pronunciou.

Os celulares encontrados dentro da delegacia foram entregues à Polícia Civil. De acordo com o soldado da PM, D. Sena, que esteve na operação, o Tenente Miquéias recebeu denúncias de fora da delegacia, de que presos estavam mantendo comunicação constante através de celulares.

O soldado explicou que existem várias formas de os aparelhos irem parar nas mãos dos detentos, uma delas é no momento das visitas.

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Prefeitura desapropria campo do Miguel para construir estádio

Outros campos de futebol situados na zona rural também receberão melhorias e iluminação


campoAtravés do Decreto Nº 199, datado de 20 de outubro de 2014, a Prefeitura comunicou a desapropriação de um terreno no bairro Praia do Gado. O espaço é conhecido na cidade como o ‘Campo do Miguel’, de propriedade do cidadão Miguel Dorlaia, um amante do futebol, que sempre se dedicou a proporcionar condições para a prática esportiva para atletas do seu bairro. A intenção da Prefeitura é dar o mínimo de estrutura para o local, com uma pequena arquibancada e iluminação.

A justificativa do decreto para a desapropriação e a construção do estádio, é fomentar a prática esportiva em todos os pontos da cidade e principalmente nas escolas da rede municipal de ensino.

Além da construção e iluminação do Campo do Miguel, o prefeito Iran Lima declarou que pretende construir outras praças esportivas. Iran afirmou que pretende erguer um estádio no Platô do Piquiá, além disso, vai promover melhorias em campos de futebol na zona rural, como Independência e Monte Verde, respectivamente situados no alto e o baixo Purus.

O prefeito disse também que os ginásio de Boca do Acre serão reformados para 2015. Para o ano que vem, o prefeito pretende entregar os ginásios Bola Sete, Élson Melo e Artur Cardoso prontos para a prática esportiva.

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Desenvolvido por ABCMIX - Joomla Site Designer - 2012