Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *

Editorial Amazônia

Amazônia

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O Prefeito de Coari em exercício Emídio Rodrigues, decretou ontem a paralisação dos trabalhos de todos os setores da Prefeitura alegando falta de recursos financeiros.

Até as escolas foram fechadas. A oposição denuncia que esta é uma estratégia para desbloquear os recursos da prefeitura bloqueados pela Justiça e usados para tentar eleger o candidato do ex-prefeito Adail Pinheiro. “Com exceção dos serviços de urgência e emergência do hospital regional e da guarda municipal, por questão de segurança, todos os demais serviços foram paralisados. A coleta de lixo e a limpeza de ruas foi uma das áreas mais prejudicadas. Cerca de 800 servidores desse setor não recebem os salários há mais de um mês”. Doze unidades básicas de saúde da sede do município e o serviço ambulatorial do hospital regional watão de portas fechadas por falta de medicamentos e atraso no pagamento da folha de pessoal.

A prefeitura diz que um paciente teria morrido ontem com complicações no intestino morreu porque não houve condições de transferi-lo O povo reclama: A sociedade Coariense cobra da justiça pra onde foi o dinheiro que o Governo Federal, transferiu em 2009 para Coari, visite O portal Transparencia do governo federal esta semana o prefeito em exercício Emidio Neto aquele que foi preso pela Policia Federal em 2004 na operação MATUZALEM por desviar verda do INSS. Determinou que todos os funcionários entrassem em greve, os Professores querem lecionar mas não pode, vem dinheiro para pagar gasolina, merenda, pagar os professores pet, agente jovem ,bolsa estágio e outros mais, e para onde etá indo esse dinheiro se os programas não tem nem rumores que estão funcionando, Coari vive o pior dos caos lixo para tudo quanto é lado, penso que o Emídio faz pressão pra a justiça liberar as contas não para assumir os compromissos com a sociedade.

Mas, para os seus interesses, tem garis que está a 2 meses sem receber seus sálarios. Hoje o responsavel pelo setor de vacinas foi a rádio cidade e disse que há bastantes vacinas em estoques mas não estão abrindo as portas dos postos de saúde por ordem do Prefeito e do secretário de Saúde,pessoas que precisam de serem vacinadas para trabalhar nas firmas e outros estão prejudicadas.

Há unica vacina que está em falta e a BCG porque venceu ontem, o municpio com toda esta falta de recursos dar para continuar trabalhando, vejo tambem que liberando os profissionais terá mais pessoas para serem cabos eleitorais do candidato que o mesmo apoia principalmente as assitentes sociais que tem mapeados todos as famílias pobres de Coari. CNJ porque o Emídio não foi julgado até agora estão esperando o que.

Quando Jorgina de freitas, desviou dinheiro do INSS na decada de 90 conseguiram prede-la, hoje está atrás das grades cumprindo pena, o Emídio e melhor do que ela porque é homem?. Penso que as mulheres tem o mesmo direito que eles. CNJ queremos agilidade e punições chega de tantos roubos em Coari. Geralda Mendes /Coari Amazonas Fonte Blog da Floresta.

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa

RIO DE JANEIRO - A população indígena brasileira deu um salto nos últimos anos e mais que duplicou entre 1991 e 2000. Com uma taxa de crescimento de 10,8% ao ano, os índios passaram de 294 mil para 734 mil, representando 0,4% dos brasileiros, segundo pesquisa divulgada hoje (2) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Além de melhorias na área de saúde, resistência a infecções e o engajamento em instituições de defesa dos próprios direitos, o estudo aponta que a explosão do contingente está relacionada à mudanças no critério de autoidentificação dos censos. Nos levantamentos mais antigos, a auto-atribuição era aleatória.

- Isso pode ser explicado não só pelo aspecto demográfico, mas também pela mudança na autoidentificação de um contingente de pessoas que nos censos anteriores provavelmente se declaravam como pardos-, afirma o texto do documento.

Região Norte

De acordo com o documento, a maior parte da população indígena do país está no Norte, embora tenha caído quase pela metade nos anos pesquisados. Atualmente, vivem na região cerca de 29,1% do total. Em 1991, eram 42,4%.

Em um movimento contrário, cresceu o contingente indígena do Sudeste, onde subiu de 30,5 mil para 156 mil os indivíduos que se identificam como índios. No Nordeste, o contingente também aumentou, passando de 55 mil para 166 mil.

Segundo o levantamento do IBGE, a escolarização indígena, embora ainda muito baixa, também avançou nos anos pesquisados. Entre os dois censos, a média de estudo entre os indivíduos com mais de 10 anos de idade passou de 2 para 3,9 anos.

Fonte: Portal Amazônia

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

MANAUS – Mais de 296 hectares de terras desmatadas sem licenciamento ambiental foram embargados durante a operação Kaaetè, deflagrada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), nos municípios do Sul do Amazonas.

O Ibama aplicou, ainda, mais de R$ 2,5 milhões em multas e descobriu um esquema fraudulento praticado por uma madeireira do município de Apuí (a 476 quilômetros de Manaus), que estaria utilizando Documento de Origem Florestal (DOF) para vender madeiras de Rondônia para outros Estados.

- Achamos estranho ao ver DOFs saindo de Apuí, no período das chuvas, porque nessa época fica quase impossível passar pela BR 230 e chegar a outros estados em tempo hábil para os documentos serem aceitos. Eu acredito que madeira ilegal de outros estados está sendo esquentadas com planos de manejos do Estado do Amazonas – afirmou Lobato.

A operação Kaaetè está sendo realizada durante o ano inteiro. Com auxilio de um helicóptero, várias áreas desmatadas e queimadas sem licença ambiental foram identificadas.

De acordo com o coordenador da operação Jeferson Lobato o índice de desmatamento tem diminuído em todo o Amazonas de 2003 até agora, mas em Apuí, o órgão verificou crescimento da prática ilegal nos últimos dois anos.

Fonte: Portal Amazônia

Designed by ABCMIX Joomla Site Designer - 2015