Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *

Colunas

A Hora do Lobo

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

loboExiste um predador no interior de todos nós. Ele não existe para predar outras pessoas, mas para caçar a nós mesmos, devorando nosso discernimento, afastando a sabedoria. Foi criado a partir de nossos hábitos e padrões de comportamento insalubres, de nossas vaidades e egoísmos, e se alimenta de nossa energia mental, emocional e espiritual.

Como todo predador, ele não age aleatoriamente e sem estratégia; fica à espreita e somente nos domina quando estimulado pelas circunstâncias, emoções e pensamentos que excitem sua ira. E nesta hora, como afirma Thich Nhat Hanh, o grande mestre budista do zen vietnamita, fazemos coisas que não queremos fazer, dizemos coisas que não queremos dizer, pensamos coisas que não gostamos de pensar.

Magoamos a nós mesmos e a outros, incapazes de agir com consciência plena. Esta é a Hora do Lobo, o momento em que caímos na mais lamentável cadeia de ações inconscientes e ignorantes, fundamentadas nos vícios de atitude que desenvolvemos ao longo de nossa vida. E essa triste queda devora nosso discernimento e percepção, e nos nega a sabedoria.

(…)

O fato é que na vida vivemos sob a ditadura das paixões. (…) E, bem, a paixão na verdade não abriga nenhum amor, nenhuma alegria de viver, em si mesma. Os processos passionais são sempre desgastantes, e em algum momento este desgaste se tornará evidente, não há como escapar disso.

Festas frenéticas, viagens apressadas, muitas atividades cotidianas, consumo exagerado, relacionamentos superficiais intensos ou afetos racionalizados em um sem-número de projeções e carências (…).

O exercício das paixões através das fantasias dos sentidos parece mais fácil do que a conquista da felicidade através do equilíbrio da consciência.

Além disso, quem afinal compreende o sentido da vida? Quem realmente pode se valer do inefável sentimento de contentamento?

(Para a mente viciada em hábitos egoístas) Mais valiosas são as excitações imediatas, a luta para conquistar mais beleza física, mais domínio, mais poder, mais dinheiro e fama, mais intelectualidade, mais corroboração de nossos pontos de vista (…).

O predador (…) é o agente das nossas atitudes insalubres, que nos faz sentir menores diante da vida. Ele habita nossos corações e mentes, esperando o momento de nos dominar. E quando nos defrontamos com um desafio, um gesto, uma palavra ou uma ideia que de alguma forma estimule os hábitos arraigados em nossa mente, o predador ataca nossa percepção com uma fúria e velocidade terríveis.

(…)

Liberte-se de seu predador. Observe meios de prática que podem desestimular os hábitos arraigados em você, e que são tão prejudiciais. E, por favor, abandone o vício de apenas procurar o predador nos outros; cada um de nós tem seu caminho, e não nos cabe a injustiça de sustentar nossos argumentos acusando a doença de comportamento alheia.

Saiba atingir o correto equilíbrio entre o reconhecimento do predador alheio e o melhor meio de se defender dele. E a melhor forma de nos defender do lobo que habita os corações dos nossos semelhantes é ter a coragem de apaziguar o nosso próprio lobo interior. Este é o segredo.

(…)

Somos muito mais do que presas de um predador. Podemos muito mais do que apenas agir com ignorância e intolerância. Podemos ser livres, serenos e fortes ao mesmo tempo. A vida é um sonho que pode ser vivido sem pesadelos.

Acredite nisso, e confie: não somos escravos de nossas paixões. O predador pode ser superado, ele pode ser derrotado. Basta termos a coragem de viver saboreando as belezas da vida com uma mente simples e dedicada, e não devorando com paixão e impulsividade a nossa própria liberdade…
 
“A Hora do Lobo”, 2005 – KŌMYŌ, Claudio – “O Hóspede da Caverna”; 1ª Edição Revisada. Rio de Janeiro, 2007. pp. 111-117.

Curta nossa página no Facebook

Não somos dos que retrocedem

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

“Nós, porém, não somos dos que retrocedem e são destruídos, mas dos que creem e são salvos” (Hebreus 10.39).


Deus nos chama para uma vida de perseverança, na qual as circunstâncias ruins não podem abalar a nossa fé, que está em Cristo. O próprio Jesus disse: “Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo” (João 16.33b). O Senhor pede a nós que tenhamos ânimo, coragem, porque sabe que é possível, pois a parte mais difícil Cristo já fez por nós na cruz. Deus faz esse chamado também para que recebamos tudo aquilo que Ele mesmo nos prometeu. “Vocês precisam perseverar, de modo que, quando tiverem feito a vontade de Deus, recebam o que Ele prometeu” (Hebreus 10.36).

O Senhor nunca disse, portanto, que a caminhada cristã seria sempre um “mar de rosas”. Por outro lado, Jesus garantiu que estaria conosco até à consumação dos séculos (Mateus 28.20b) e que, com Ele, o fardo não seria pesado: “Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mateus 11.30). Continue caminhando, não retroceda. Ainda que as tribulações venham, conserve a fé, porque, assim, é certo que você não será destruído; pelo contrário, será salvo, como garante a Palavra de Deus.

:: THAIS OLIVEIRA

Curta nossa página no Facebook

 

Silvio Santos surpreende a todos com seu destino nas férias e vai para lugar totalmente improvável

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Aos 86 anos, Silvio Santos continua surpreendendo a todos com suas atitudes inusitadas. Nos últimos dias, como tínhamos antecipado, existia um mistério sobre o destino das férias de Silvio Santos. No entanto, a revelação do destino surpreendeu a todos, nem Europa nem Estados Unidos.

O apresentador viajou com a família para a Antártida. Sim, Silvio foi para o continente mais frio do planeta, como informa o jornalista Flávio Ricco.  O local recebe rajadas de ventos com velocidades extremas e curtir essa aventura é para poucos. Até pelo preço, nada “amigável”.

Os passeios costumam acontecer em navios quebra-gelo, adaptados para o turismo. Os maiores atrativos são as paisagens e a vida selvagem do local, com pinguins, albatrozes e focas.

Antes de partir, Silvio deixou pronto seu novo programa, “Jogo das Fichas”, ainda sem data de estreia, e adiantou as gravações do “Programa Silvio Santos”. Onde é que ele acha tanta energia?

Curta nossa página no Facebook

Designed by ABCMIX Joomla Site Designer - 2015