Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *

Colunas

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Pesquisa aponta que quase 10 milhões de brasileiros têm alguma deficiência auditiva, o que representa 5% da população do País


De uns dois anos para cá, a confeiteira Mônica Lins percebeu que a audição do filho – que pediu para não ser identificado – estava ruim. “Achava que era frescura e que ele não queria me escutar, foi aí que percebi isso. Ele,desde a sétima série,usa fone de ouvido. Como ele não se entrosava com os colegas,o fone virou o companheiro dele... sempre tinha Linkin Park no último volume”, declara ela.

A mãe então o levou ao médico, e eis o diagnóstico: o filho estava com perda de 70% da audição. “O médico disse que ele tinha que aprender a usar menos o fone, e principalmente no tom bem baixo, mas não adianta. Às vezes passo por ele e está alto demais. Ele não percebe mais o nível de altura, tenho que falar alto com ele. Quando está comigo, fica desesperado porque eu tiro dele”, comenta ela.

Essa realidade é muito comum aos jovens de hoje. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que quase 10 milhões de brasileiros têm alguma deficiência auditiva, o que representa 5% da população do País. Destes, cerca de 2 milhões possuem deficiência auditiva severa, 1,7 milhão tem grande dificuldade para ouvir e 344,2 mil são surdos.

Perda auditiva e surdez

A otorrinolaringologista Nina Brock (@dranina.otorrino) afirma que perda auditiva é diferente de surdez. “Pensa no óculos: a pessoa tem uma diminuição da visão, mas não é cega. Isso acontece com a audição também. Ela vai diminuindo. Aos 80 anos de idade, todo mundo vai ter algum nível de perda auditiva, mas não vai significar que a pessoa seja surda”, pondera ela. A médica declara que as lesões no órgão auditivo são acumulativas, podendo incidir numa surdez no futuro. Mas isso depende de fatores mais intensos, visto que a perda auditiva os níveis leve, moderada, moderadamente severa, severa e profunda.

“A surdez pode acontecer quando a gente é submetido a algum trauma acústico muito importante, como um tiro perto do ouvido ou uma exposição a uma explosão, porque esses sons muito fortes podem danificar a estrutura dentro do nosso ouvido. Por isso é obrigatório o uso de equipamentos de proteção individual a quem trabalha nas indústrias, para diminuir a exposição sonora. A agressão no órgão auditivo é acumulativa e ao longo dos anos vai piorando”, diz ela.

Muitas pessoas negligenciam as infecções no ouvido (otites). Se não tratadas corretamente, otites podem evoluir para meningite, doença com taxa de mortalidade de 20%. “A otite tem um fundo infeccioso e bacteriano na maioria das vezes. O ouvido está muito próximo das regiões do cérebro, e o que divide o ouvido do cérebro é uma fina camada de osso. A infecção bacteriana pode erodir essa estrutura óssea e ir para a área das meninges. Pode também causar um abcesso cerebral. Óbvio que são complicações raras, mas podem acontecer”, explica a médica.

Outros problemas

O aparelho auditivo é dividido em três partes: o ouvido externo, médio e interno, e o órgão auditivo pode ser acometido por alguns problemas. O excesso de cera de ouvido pode trazer dor, diminuição da audição e zumbido. A pele do ouvido externo, ao sofrer traumatismo por cotonete ou acúmulo de água após o banho pode ficar inchada e trazer dor, secreção ou coceira. Nas infecções de ouvido, causadas por bactérias, os sintomas podem ser dor de ouvido intensa e às vezes súbita, febre, diminuição da audição, secreção purulenta com ou sem presença de sangue.

Por isso com os cuidados com os ouvidos devem ser reforçados. “Sugerimos sempre que evite o uso do cotonete, pois se introduzirmos dentro do ouvido, empurramos a cera para o fundo do canal auditivo, dificultando a sua eliminação espontânea. Ao tomarmos banho de mergulho, em piscina, rio ou mar, devemos ter o cuidado de secar o ouvido, uma dica é usar um pano fino, ou aplicação de calor seco”, coloca a médica.

Evitar manipulação do ouvido, e não introduzir nenhum objeto dentro do conduto auditivo é um dos cuidados a serem tomados. “Evite fones com volume elevado, e também ambiente muito ruidoso que gera desconforto auditivo”, completa Nina.

Tratamento para surdez

No dia 10 de novembro, foi comemorado o Dia de Combate À Surdez. “Há quem nasça com a perda auditiva, por isso o acompanhamento no pré-natal é muito importante. Mas temos casos de pessoas que adquirem essa deficiência com o tempo, por ouvir durante horas e com frequência sons intensos ou música em alta intensidade, além dos casos por idade avançada também”, relata a fonoaudióloga Cíntia Fadini.

Ela conta que há dois tipos principais de surdez: a de condução e a neurossensorial. A de condução acontece quando algo impede o som de passar pelo sistema auditivo. Pode ser tratada por meio de medicamentos ou, dependendo do caso, com o uso de aparelhos auditivos.

Já na perda neurossensorial há a morte irreversível de algumas células. Para essa situação, o único recurso é o uso de aparelhos auditivos para amplificar e corrigir os sons recebidos. Mas o processo inicial não é tão simples, pois, na maioria dos casos, é necessário também treinar o cérebro para ouvir melhor por meio de treinamentos específicos que estimulam a atenção e memória auditiva.

Teste da Orelhinha em bebês

A detecção precoce de problemas auditivos pode resultar em melhor qualidade de vida. Criada por lei municipal em 2000, mas sancionada pelo Governo Federal em 2010, a Triagem Auditiva Neonatal, conhecida como Teste da Orelhinha, é feita de forma rápida, fácil e indolor, executada durante o sono natural do bebê. Realizado no recém-nascido, com dois a três dias de vida (mas pode ser realizado até o 3º mês após o nascimento), ainda na maternidade, o teste é feito colocando um fone de ouvido na orelha.

O teste não é invasivo, não gera incômodo ou dor, e dura cerca de 10 minutos. Ele capta ruídos emitidos pelas células ciliadas externas (células responsáveis pela audição) em funcionamento. Quando o resultado é negativo, ou seja, com ausência de resposta ao Teste da Orelhinha, pode indicar provável problema na audição. “Provável porque um resultado negativo ao exame precisa ser confirmado com outros testes”, explica Dra. Jeanne Oiticica, médica otorrinolaringologista e pesquisadora da USP.

Curta nossa página no Facebook

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
SALVAÇÃO
FOTO: INTERNET

Muitas pessoas buscam prazeres físicos, ou formas variadas de gratificação psicológica, porque acreditam que essas coisas trazem felicidade ou as libertam de uma sensação de medo ou de falta de alguma coisa. A felicidade é vista como uma sensação intensa de vivacidade obtida através do prazer físico, ou como uma sensação de um eu interior mais firme ou mais completo, obtida através de alguma forma de gratificação psicológica. Essa é uma busca de salvação que tem origem num estado de insatisfação ou de insuficiência de alguma coisa. Invariavelmente, a satisfação conseguida dessa maneira tem curta duração e, assim, a condição de satisfação ou plenitude é geralmente projetada, mais uma vez, sobre um ponto imaginário, distante do aqui e agora. “Quando eu conseguir isto ou me livrar daquilo, vou estar bem”. Essa é uma disposição mental inconsciente, que cria a ilusão de salvação no futuro.

A verdadeira salvação é satisfação, paz, vida em toda a sua plenitude. É ser quem somos, sentir dentro de nós o bem que não tem opositores, a alegria do Ser que não depende de nada que esteja fora de nós. Não é sentida como uma experiência passageira, mas como uma presença permanente. Na linguagem dos que crêem em Deus é “conhecer Deus”, não como algo externo a nós, mas sim como a nossa essência mais profunda. A verdadeira salvação consiste em conhecermos a nós mesmos como parte inseparável da Vida Única, livre do tempo e da forma, de onde se origina tudo o que existe.

A verdadeira salvação é um estado de liberdade – do medo, do sofrimento, de uma sensação de insuficiência e de falta de alguma coisa e, portanto, de todos os desejos, necessidades, cobiça e dependência. É libertar-se do pensamento compulsivo, da negatividade e, acima de tudo, do passado e do futuro como uma necessidade psicológica.

A nossa mente está dizendo que, do jeito que as coisas estão agora, não vamos conseguir chegar lá. Tem de acontecer alguma coisa, ou temos de nos tornar isso ou aquilo. Ela está dizendo, na verdade, que precisamos do tempo, que precisamos encontrar, negociar, fazer, conseguir, adquirir, compreender ou nos tornar alguém, antes de nos sentirmos livres e satisfeitos. Vemos o tempo como um meio de salvação, quando, na verdade, ele é o grande obstáculo para a salvação. Imaginamos que não podemos chegar lá a partir do ponto em que estamos ou de quem somos neste momento, porque não nos sentimos ainda completos ou bons o bastante. Mas a verdade é que o aqui e agora é o único ponto de partida para poder chegar lá. “Chegamos” lá ao perceber que já estamos lá. Encontramos Deus no momento em que descobrimos que não precisamos procurar Deus. Portanto, não existe apenas um caminho para a salvação. Várias circunstâncias podem ser usadas, não é necessário uma em particular. Entretanto, só existe um ponto de acesso: o Agora. Não existe salvação longe deste momento.

Não existe nada que possamos fazer, ou obter, que nos aproxime mais da salvação do que o momento presente. Não podemos fazer isso no futuro. Ou fazemos agora ou simplesmente não fazemos.

Curta nossa página no Facebook

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Carlos Santana, 26, disse que vai realizar o sonho de representar o Estado em que nasceu no Mister Brasil Tur 2017


O amazonense Carlos Santana, 26, sabe bem o que é ser perseverante. Ele começou a carreira nos concursos de beleza masculinos em 2009, quando, ainda modelo, foi convidado para substituir o Mister Eco Rio Grande do Sul, que não iria mais poder participar daquela edição.

“Não fui como representante do Amazonas porque o Estado, à época, já tinha um titular”, comenta ele, que foi lá e ganhou a faixa e a coroa de Mister Eco Brasil daquele ano. Em 2017, o jovem vai realizar o sonho de representar o Estado em que nasceu no Mister Brasil Tur, que acontecerá de 20 a 24 de novembro, em João Pessoa (PB).

Bastante grato à experiência vivida no passado, o rapaz, que é autônomo e estudante de Arquitetura, viu sua vida virar de ponta-cabeça ao participar do concurso da franquia Eco. “Foi tudo muito ‘na marra’. Sunga eu consegui no dia, roupa eu consegui no dia. Foi tudo muito rápido, mas foi uma experiência muito legal. E eu não esperava sair com o título. Mas é aquilo: em concurso de beleza, nem sempre o favorito ganha. Você tem que ter confiança, postura, carisma. Vai muito do momento, da pessoa que brilhar mais na noite”.

A disciplina dele como mister, bastante comentada nos bastidores, vem do atleta que mora dentro de Carlos. Ele foi o quinto colocado na categoria “Mens Physique” da Copa Manaus de Fisiculturismo e Fitness 2017. O rapaz lembra de como começou sua relação com o esporte.

“No Ensino Médio estudava no Colégio Dom Bosco e fui convidado a virar atleta de handebol. Isso me ensinou, principalmente, sobre disciplina. Com as redes sociais, por exemplo, fica muito difícil manter o foco, mas ser atleta me ajuda muito na preparação para o concurso de beleza”, pondera ele, que é coordenado pelo jornalista Eduardo Gomes.

Foco na beleza e no corpo

Para participar do concurso, Carlos precisou abdicar de algumas coisas. Ele trancou a faculdade neste semestre porque também decidiu estudar para concursos públicos e resolveu conciliar os estudos com a preparação para o concurso de beleza.

“Trabalho durante o dia; à tarde sempre estudo para os concursos; à noite faço academia e dieta é toda hora. Academia é a parte fácil, qualquer um chega lá e faz. O mais difícil é manter o foco na dieta”, conta ele, que adora sushi, pizza e hambúrguer. “Mas com a disciplina que o esporte me trouxe, depois que entro no foco, consigo me desvincular um pouco mais desses desejos que tenho de comer doce”.

A preparação para o Mister Brasil Tur, porém, não é somente física. O intelectual – principalmente – é visado. “Até porque é um concurso de turismo e tenho que ter todo um conhecimento prévio da nossa cidade, como dados culturais e etc. O concurso não é só de beleza: nos avaliam em diferentes aspectos”, diz ele, consciente de que um mister é alguém que será referência.

A partir do momento que você ganha o título de mister, você ganha visibilidade. Não basta ser uma pessoa só bonita. O concurso faz provas de postura, ética, educação e carisma. O mister é avaliado como pessoa, então acho que essa é a principal diferença entre ser mister e modelo, por exemplo”, destaca.

A responsabilidade sobre Santana é imensa: o atual Mister Brasil Tur é o representante do Amazonas em 2016, Lucas Saunier. Com Carlos, todos esperam uma “dobradinha”. “

O perfeccionismo tem que ser ainda maior”, pondera ele, que viaja no dia 16 para Brasília (DF), onde no dia 19 fará o concurso do Tribunal Superior do Trabalho (TST), e no dia 20 se apresentará em João Pessoa para o concurso de beleza. “A rotina está bem puxada, mas quero manter os pés no chão. O futuro a Deus pertence”, completa.

O que mais gosta de fazer

No dia a dia, o mister relaxa com a academia e sessões de cinema. “A única saidinha que dou atualmente é para o cinema. Meus filmes favoritos são de terror e suspense. Gosto muito de ‘IT – A Coisa’, que foi o último que vi. Mas no geral, o que me acalma é a academia. Tanto é que eu coloco ela para o turno da noite, para dar aquela descarregada do stress do dia”, pondera ele, que, para ouvir, gosta de hip-hop. “Eu também gosto muito de ir ao Porão do Alemão. Não estou indo mais por causa do concurso, mas assim que der vamos matar essa saudade”.

Curta nossa página no Facebook

 

Designed by ABCMIX Joomla Site Designer - 2015