Colunas

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
gilmar peron
FOTO: GILMAR

Afinal, a corrupção é um caso de justiça, falta de moralidade ou escassez espiritual? Penso na corrupção como algo ilusório, uma coisa inexistente. Pois se trata de uma criação mental, e individual de cada um de nós, praticada sempre como algo inofensivo, porque nossa mente é muito astuciosa e sagaz quando se trata de benefícios próprios, sempre dá aquele jeitinho “brasileiro”, do errado se tornar certo, do tipo: Quando você não devolve aquele troquinho a mais no cinema, na mercearia, no supermercado, ou quando tenta subornar uma autoridade policial, furar filas, e que tal aquela fichinha especial nos postos de saúde que lhe permite um atendimento mais rápido que os demais? e por aí vai, são inúmeras. Lembrou de alguma dessas atitudes?

A corrupção instalou-se no seio de uma sociedade incapaz de pensar no bem comum. De uma sociedade egóica e gananciosa que pensa somente em si, querendo sempre se dar bem, jamais importando se irá prejudicar o próximo. Ela está dentro de mim, dentro de você, dentro das empresas, das igrejas, na política não precisamos nem falar porque é lá que ela adora, ela ama a política. A política e a corrupção parecem até irmãs, são muito parecidas, andam de mãos dadas, ambas são criações mentais nascidas de uma falsa necessidade. A corrupção é a chaga de uma sociedade atrasada, promíscua e dotada de total ignorância.

Atualmente a política brasileira tem sido alvo constante da Justiça na busca por barrar a corrupção escancarada aos quatro cantos do Brasil, ou pelo menos diminuir. Além da Justiça, a sociedade em geral discute, argumenta, opina, acusa (sempre o outro, nunca olhando para si), enfim, dezenas e mais dezenas de tentativas e argumentos vãs para encontrar a culpa e matar a corrupção.No entanto, não querendo desanimar ninguém, todas essas tentativas é uma batalha perdida. Não podemos lutar contra uma sombra, inevitavelmente perderemos, a corrupção é apenas um reflexo nosso. Para eliminar a sombra é preciso luz, a luz da nossa consciência que é, em essência, o próprio Espírito.

Da mesma forma que o corpo físico cria sua sombra nós mesmos somos criadores deste demônio, a corrupção. Assim, como iremos vencer uma criação mental? Ela não existe. Até mesmo lutar contra esta sombra seria pura ignorância. Se queremos realmente vencê-la é dever individual banhar de luz nosso interior, somente assim ela se extinguirá. As trevas não pode vencer a luz. Só existe trevas onde não há luz.

A corrupção é a ausência do amor, da partilha, do trabalho em conjunto. A corrupção fere uma das Leis de Deus que é o amor ao próximo. O amor ao próximo, não é aquele amor família (pai, mãe, filho etc), este é uma forma de amor egoísta, não quero dizer que não devemos amar nossos familiares, mas estender nosso amor. “Não queira para os outros aquilo que não desejaria para si”. Amor ao próximo é para com aquele que está ao seu lado naquele momento presente. Na Índia, uma das 4 Leis espirituais ensinadas diz: A pessoa que chega é a pessoa certa. Então esta é uma forma de amor ao próximo, a pessoa que chega é a sua chance de praticar o amor incorruptível, aquele que não busca benefícios próprios.

Estamos sempre tão envolvidos com nossas necessidades diárias que acabamos não percebendo a necessidade do próximo. Enxergamos sempre, em primeiro lugar, as nossas necessidades. Desde pequenos, em casa, nas escolas, somos instruídos a ganhar, vencer, chegar primeiro. E começamos a achar que esta forma de competir para sobreviver neste mundo é normal. Quando chega à vida adulta, está criada uma verdadeira máquina de competição e corrupção. No em tanto, o Universo não funciona de por meio da competição, mas sim do trabalho em conjunto por meio dos pensamentos e ações.

Não podemos mudar o mundo. Mas podemos mudar o nosso mundo interior. E combater a corrupção dentro de nós mesmo já é um grande começo para um mundo melhor. Somente assim teremos um mundo menos egoísta e mais harmonioso.

Fico por aqui e desejo toda abundância do universo conforme o merecimento de cada coração.

Artigos relacionados

Curta nossa página no Facebook

 

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa

É fundamental o ingresso na Universidade de Deus, onde a educação e a humildade é por excelência nossas mestres, que de forma laboriosa irá forjar um novo Ser

GILMAR PERON
FOTO: GILMAR

Acredito que viemos a este mundo com algum propósito. Vejamos, o ser humano nasce, cresce, envelhece e morre. E no decorrer da vida não se dá a chance de nem ao menos se perguntar para que veio a esta terra. Exceto em alguns momentos de dor e sofrimento, quando se está já a beira da morte, talvez em um leito de hospital, poderá acontecer o despertar. Na tela mental, como num cinema, começa a desenrolar todo o drama, neste enredo acredito que os momentos de infelicidades são maiores que os de felicidade, e então, finalmente a pergunta: Atingi meu propósito de vida? O que eu fiz de minha vida? ou cumpri com meu papel junto a minha família ou perante a sociedade? Sugiro fazer esta pergunta agora, antes do momento que antecede a partida. Pois para viver é preciso acordar, e acordar de um sono profundo.

Passamos a vida inteira perseguindo algo e esperando por uma vida melhor, uma sociedade mais justa, melhor emprego, melhor saúde e ainda há aqueles que esperam um salvador que irá redimir seus pecados, desta forma, passando sua responsabilidade para outra, um mau de todo ser humano, o comodismo, sempre deixando pra depois ou entregando suas responsabilidades a outros. Tudo aquilo que é difícil deixamos para depois. No entanto, meu objetivo aqui não é ir contra qualquer crença ou religião, mas sim nos fazer questionar sobre aquilo que pode estar errado, e este algo errado não está no mundo, nem na natureza, nem no vizinho ou em seu patrão, mas dentro de cada um de nós.

Você já percebeu que apesar de todas as conquistas (material e amorosa), de todos os objetivos alcançados ainda há um vazio por dentro? Um sentimento de que está faltando algo a ser conquistado? Isto nos leva a crer que a verdadeira conquista não é exterior, mas sim interior. Em nosso interior está a fonte de tudo, da paz, da harmonia, da saúde e da prosperidade.

Durante muito tempo, momentos angustiantes de outrora e de grandes dificuldades, esta frase me deu muita força e vontade de viver “Quem vence alguém é um vencedor, mas vencer a si mesmo é invencível” Murihel Ueshiba.

Vamos dizer que dentro de cada um de nós reside a verdade, aquela que está além da vida e da morte, o eterno, o imutável (o espírito). O fato é que somos seres espirituais vivendo uma experiência física (humana) e lamentavelmente esquecemo-nos desta realidade. Invertemos as realidades dos fatos por conta da ilusão criada pelo mundo de Maya (satanás), conforme as antigas tradições religiosas e filosóficas classificam o universo por conta de sua natureza ilusória e passageira. Se compararmos os poucos anos de existência terrena com a eternidade do espírito veremos que é a mais pura verdade.

E a única experiência verdadeira que iremos levar conosco para o outro lado, além-túmulo, são as nossas ações, boas e más, delas ninguém nos livra, chegará um momento em que iremos prestar contas de cada uma, tim tim por tim tim. E as dívidas junto ao leão da Lei pagamos com boas obras. Por isso vamos dar preferência às boas sementes, pois delas comeremos os melhores frutos. E não há outro modo de se fazer um bom plantio a não ser evoluindo como seres humanos, aparando nossas arestas, abrindo as comportas da mente para adquirir mais e mais conhecimento, eliminando os preconceitos, e o mais importante, cultivando o amor, a mais pura e elevada das sementes celestiais.

Como fator imprescindível para evolução, é fundamental o ingresso na Universidade de Deus, onde a educação e a humildade é por excelência nossas mestres, que de forma laboriosa irá forjar um novo Ser. Nesta Universidade, muito rica e vasta em conhecimento de todas as ciências e matérias está a todo momento cobrando e ensinando, principalmente nos momentos de dificuldades, como numa prova de escola, exigindo total concentração no momento presente. Se não aprendermos as lições, cedo ou tarde tropeçaremos novamente na mesma lição, até o momento de sermos aprovados para novas experiências.

Vejo na evolução como seres humanos e espirituais que somos, o principal propósito da existência. Veja que em nosso meio existem pessoas altamente educadas/cultas e outras totalmente selvagens. Será mesmo que Deus em sua infinita bondade e justiça poderia deixar vir à existência um filho menos afortunado (em conhecimento) que outro? Acredito que Deus criou todos nós como espíritos iguais (nem bons nem maus, nem menos inteligentes nem mais inteligentes), mas são nossas escolhas que nos eleva ou nos rebaixa na régua da evolução, uns mais adiantados, outros mais lentos e preguiçosos. Vejo nesta situação dois paralelos: No primeiro, muitos méritos individuais daquele que possui uma grande bagagem de conhecimento da vida e das Leis que regem o universo, e por outro lado, no segundo caso, uma longa trajetória a percorrer rumo a um maior grau de conhecimento e evolução.

Fico por aqui e desejo Paz e Saúde a todos.

Leia também

Curta nossa página no Facebook

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa

Perdoar não quer dizer fingimento, nem fechar os olhos às falhas dos outros. Vejo o perdão se materializando por intermédio de uma Permissão.

gilmar
FOTO: GILMAR

O que é o perdão? Acredito que poucas pessoas são capazes de se perguntar a este respeito. Será mesmo que sabemos as respostas sobre o verdadeiro sentido do perdão? Por que nos dias de hoje o perdão tem se transformado em algo raro e precioso? No meu entender o ego é o grande responsável pela escassez desta forma de amar - o perdão. O ego cresceu e endureceu o coração, criando inúmeras barreiras ao perdão, literalmente fechando a visão para o amor mais puro que é aquele que não busca benefícios próprios.

Segundo o dicionário, perdoar é se livrar de uma culpa, de uma ofensa ou dívida. O Cristianismo prega que devemos perdoar para remissão dos pecados, pois é “perdoando que se é perdoado”. Eis aqui uma grande verdade. Mas que infelizmente não se é praticada como deveria ser, como disse antes, poucos os fazem. Talvez seja esta a explicação para o enrijecimento do ego. Pois entendo que o verdadeiro perdão é aquele ato de amor puro que queima qualquer ódio, rancor ou ressentimento que possa se ocultar dentro de nosso mais íntimo Ser. Neste caso o perdão se transmuta em uma extraordinária ferramenta do amor.

Quando perdoamos abrimos mão e deixando ir embora qualquer tipo de ressentimento que possa existir oriundo de uma ofensa ou prejuízo financeiro. Neste primeiro caso, a ofensa, sempre que alguém nos ofender/agredir verbalmente, o silêncio interior aliado ao sentimento de amor para com aquele que ora nos agride já se torna a mais pura forma de amor, que naturalmente submerge do perdão.

Perdoar não irá nos deixar menos inteligentes e nem significa dizer se tornar um capacho, ou também guardar dentro de nós. Não se trata disso. Perdoar é algo mais profundo e devemos fazer uso de nossa razão e discernimento para esta Arte, que é o ato de Perdoar.

Perdoar não quer dizer fingimento, nem fechar os olhos às falhas dos outros. Vejo o perdão se materializando por intermédio de uma Permissão. Sim, isso mesmo, permitir que as coisas aconteça. Permissão é uma Lei Natural da vida, que dá suporte a toda a existência. Quando permitimos e passamos a aceitar algo interior muda e se alinha ao desejo de nosso Pai. Que sempre permitiu a seus filhos o livre-arbítrio, o direito absoluto de escolha. E neste caso podemos escolher perdoar ou passar a reclamar da vida e maldizer o próximo pelo mau que nos cerca, tornando a vida ainda mais difícil e dura para nós mesmos. Nesse caso nem nos damos conta que nós mesmos estamos dificultando a nossa vida, seja profissional ou pessoal.

Em meu ponto de vista, perdoar não significa dizer que não poderemos cobrar uma dívida, sim podemos. Mas esta cobrança deve ser discreta e com resiliência, em um momento justo e propício. Para isto devemos fazer uso da razão que é a nossa capacidade interior de julgamento.

E deste modo sejamos jardineiros da permissão e do perdão. Em pró de um mundo melhor, mais justo e harmonioso. Neste jardim somente o amor irá florescer e dar frutos saborosos que engrandecem nosso sentido de viver.

Fico por aqui e desejo a todos Paz e saúde.

LEIA TAMBÉM:

Curta nossa página no Facebook

Designed by ABCMIX Joomla Site Designer - 2015