Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *

Purus

Purus

Ex-coronel do caso da motosserra vai para casa após quase 20 anos preso

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O ex-coronel Hildebrando Pascoal teve o regime semiaberto mantido pela Vara de Execuções Penais da Comarca de Rio Branco, após ser considerado foragido, por ter quebrado o regime. De acordo com o filho de Pascoal, Hildegard Gondim, ele está em casa há pouco menos de uma semana.

Pascoal precisou retornar ao presídio no dia 2 de janeiro depois de, segundo alegou o Ministério Público do Acre (MP-AC), ter se dado alta médica por conta própria e saído do hospital sem a anuência da Justiça.

Pascoal é ex-coronel da PM, acusado de liderar um grupo de extermínio, que atuou no Acre durante a década de 90.

A decisão de manter Pascoal no semiaberto, assinada pela juíza de Direito Luana Campos, titular da unidade judiciária, foi divulgada na sexta-feira (17). De acordo com a magistrada, ocorreu um “grave erro por parte da defesa” do ex-coronel por não ter informado a ele sobre as regras que deveria cumprir.

“Embora, efetivamente, não tenha se apresentado na Unidade de Regime Semiaberto 02, o mesmo foi para sua residência e informou a este Juízo, demonstrando que não houve dolo no sentido de evadir-se do sistema prisional e do cumprimento da pena”, afirmou a juíza na decisão.

Um dia após retornar ao presídio, em janeiro deste ano, Pascoal teria tido novos problemas de saúde e voltou a ficar internado na Santa Casa, na capital Rio Branco. Ainda segundo a decisão, o ex-coronel deve cumprir a pena em prisão domiciliar com monitoração eletrônica.

O filho do ex-coronel não quis dar muitos detalhes, mas afirmou que ele está recebendo os cuidados da família. “Ele está em casa, em prisão domiciliar. Com certeza é uma vitória, poder cuidar dele. Foram muitos anos de sofrimento, já chega. Agora já dá para ficar perto dos netos e filhos”, disse.

Entenda o caso

Em outubro de 2016, Pascoal ganhou o benefício da progressão do regime fechado para o semiaberto. A decisão foi assinada pela juíza Luana Campos, da Vara de Execuções Penais do Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC).

Já no dia 30 de dezembro, ele recebeu o benefício da prisão domiciliar com a utilização de monitoramento eletrônico, logo que recebesse alta médica. O problema é que dias antes, em 12 de dezembro, o ex-coronel já havia saído da unidade de saúde por conta própria, segundo o MP-AC, que pede a prisão dele.

O G1 teve acesso ao pedido de prisão, assinado pelo promotor de Justiça Gláucio Ney Shiroma Oshiro, nesta quinta-feira (5). Para a promotoria, Pascoal executou a “pena conforme seus próprios desígnios, estando totalmente desvinculado de qualquer autorização da Vara de Execuções Penais, praticando atos atentatórios aos destinos da execução“.

Como punição, além do retorno ao presídio, o MP-AC pede à Justiça que o tempo de avaliação para o pedido do ex-coronel seja reiniciado, incluindo ainda os dias em que ele foi considerado foragido da Justiça.

‘Caso da Motosserra’

Em 30 de junho de 1996, Itamar Pascoal, irmão de Hildebrando, foi morto com um tiro por José Hugo e, Agilson Santos Firmino, conhecido por “Baiano”, teria presenciado a cena. A partir disso, Pascoal, que era coronel da PM, teria agido por vingança. Firmino, então, foi morto e esquartejado com uma motosserra.

O filho dele, Wilder Firmino, que tinha 13 anos na época, também foi sequestrado e morto. O corpo do adolescente foi encontrado queimado com ácido.

Em 2009, ele foi condenado pela morte de Baiano, caso que ficou conhecido popularmente como ‘Crime da Motosserra’. As condenações todas somam mais de 100 anos.

Curta nossa página no Facebook

Acre importa flores de Rondônia

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O representante da empresa de capital holandês, Van Leeuwen, duvidava que o amor-perfeito se desenvolvesse a contento em Porto Velho.

– Não dá? Vem aqui ver  – desafiou-lhe o produtor Sylvio Cézar Romera.

– Na outra semana vou aí – prometeu-lhe o funcionário.

E foi, deparando-se com o sistema de adubação e cultivo dessa e de outros 180 tipos de flores. Disse-lhe, então:

– Acreditem, vocês têm tudo para se tornarem os maiores produtores de flores do Norte do Brasil.

A persistência do casal Sylvio Romera e Graciele Auxiliadora Souza de Oliveira, proprietários da Rondoflores, resultou em modelo eficaz de produção numa chácara da zona Leste. Ele é técnico agrícola, ela formou-se em administração.

A Empresa Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) tem contribuído na formulação de cadastro bancário, histórico de empresas e de agricultores familiares da zona Leste da capital. Seus estudos são também enviados ao Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), em Brasília, para a obtenção de financiamentos.

A variedade de amores-perfeitos é muitas vezes descrita como flores com rostos. Suas pétalas ficam retas e formam um padrão que lembra uma face. Embora venham em várias cores – roxo, dourado, laranja e violeta – essencialmente há dois tipos: os de uma só cor sólida e os de centro escuro com bordas mais claras.

São plantas bienais, florescem duas vezes e vivem até dois anos, entretanto, costumam ser tratadas como anuais. Graciele elogia: “É uma flor resistente quando plantada em vasos, ou entre outras flores de primavera, como as tulipas. Já a rosa do deserto desperta paixão nas pessoas.” Com informações Portal do Governo do Estado de Rondônia.

Curta nossa página no Facebook

Governo abre processo seletivo para profissionais de nível médio e superior.

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Para quem procura uma vaga no mercado de trabalho, o processo seletivo simplificado divulgado nesta sexta-feira, 17, no Diário Oficial do Estado (DOE), pelo governo, por meio da Secretaria de Estado de Gestão Administrativa (SGA), é uma boa oportunidade.

O certame prevê a contratação temporária de profissionais de nível médio e superior, que serão lotados no Instituto de Terras do Acre (Iteracre). O prazo de validade do processo é de dois anos, a contar da data de publicação de sua homologação.

O edital seleciona candidatos aos cargos de nível médio: agente administrativo (3 vagas) e nível superior: assistente social (1), arquiteto (1), engenheiro agrônomo (4) e engenheiro florestal (4).

As inscrições ficam abertas de 20 de fevereiro a 3 de março e o  formulário está disponível no portal eletrônico da SGA. Vale ressaltar que, no último dia, as inscrições se encerram ao meio-dia e a entrega dos documentos irá até as 17 horas.

Para efetivar concorrência no processo seletivo simplificado, o candidato deve, obrigatoriamente, preencher e entregar a ficha de inscrição, além de cópias dos documentos descritos no edital, na sede do Iteracre, em Rio Branco, localizada na Rua Benjamin Constant, 856, Centro.

A lista de documentos necessários e demais orientações devem ser conferidas no edital do certame. Dúvidas e informações podem ser sanadas no Departamento de Concursos da SGA, por meio do telefone (68) 3215-4031.

Curta nossa página no Facebook

Designed by ABCMIX Joomla Site Designer - 2015