Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *

Purus

Purus

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Com o tema “A Poética do Imaginário Caboclo”, após três noites de belo espetáculo no Bumbódromo o Boi-Bumbá Caprichoso é o campeão do 52º Festival Folclórico de Parintins.

A apuração das notas aconteceu no final da manhã desta segunda-feira (3), no Bumbódromo, o Caprichoso alcança o 22º título de campeão do festival.

Logo após o resultado, a galera do Caprichoso saiu pelas ruas de Parintins debaixo de muita chuva para comemorar a vitória. A festa vai continuar até o fim do dia no curral do boi azul.

Há dez anos, o torcedor azulado Felipe Aires, que é de Manaus, acompanha o festival na ilha Tupinambarana. Mesmo doente, ele vai festejar o título do seu boi preferido.

“A gente lutou bastante. É aquela emoção. A gente sempre espera ser campeão e chegamos lá. Estou aqui gripado, com febre, mas já estou aqui nessa chuva saindo atrás da galera”, disse o torcedor.

O Caprichoso conquistou neste ano o 22º título de sua história no Festival Folclórico. Durante os três dias de festa, o boi mostrou que investiu em inovação tecnológica, iluminação, criatividade e ainda em números de ilusionismo.

Curta nossa página no Facebook

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Os embargos são recursos utilizados apenas para esclarecer dúvidas sobre a sentença, mas não podem mudar a decisão


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) entrou em recesso, que vai até 31 de julho, sem julgar os embargos de declaração contra a decisão que cassou o governador José Melo (PROS) e o vice Henrique Oliveira (SD).

Ontem, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, comunicou ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes que as eleições suplementares no Amazonas estão suspensas até que todos os recursos contra a cassação sejam julgados.

Os embargos são recursos utilizados apenas para esclarecer dúvidas sobre a sentença, mas não podem mudar a decisão. Em reportagem do Jornal A Crítica desta sexta-feira (30), a advogada Maria Benigno, que representa Henrique Oliveira, afirmou que os embargos já estão prontos.

“No TSE já está tudo pronto. As partes apresentaram embargos. Esses embargos já foram respondidos pelas respectivas partes contrárias, já está tudo dentro do processo e o que falta agora é o ministro Barroso entender que já tem o voto e que já pode julgar os embargos”, explicou a advogada.

Curta nossa página no Facebook

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) informou que já tem prazo para conclusão da ponte do rio Madeira, na região da Ponta do Abunã, que vai divisa com Rondônia e Acre. Será em dezembro de 2018.

A ponte está sendo construída desde 2014 e, apesar dos esforços de representantes dos estados de Rondônia e Acre, esteve praticamente paralisada há algum tempo. O DNIT usou a cheia do rio como justificativa, mas com o fim das chuvas as obras estão sendo retomadas — e com vários turnos de trabalho para colocar o cronograma em dia para entegar a obra.

A ponte deve custar R$140 milhões e faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal. O projeto inicial previa investimentos de R$ 128 milhões.

O engenheiro responsável pela construção da ponte, Cleider Razzeni, explicou que a obra começou com atraso em decorrência da cheia histórica do rio Madeira, inviabilizando a execução dos serviços.

Estado no isolamento

O governador do Acre Tião Viana (PT) lembrou do período que o Estado ficou no isolamento em função da enchente histórica do rio Madeira, em 2014. “A obra foi projetada dentro da cota máxima da cheia do rio Madeira. Isso significa que o Acre não vai mais correr o risco de isolamento em consequência de enchente”, afirmou o governador. Ela aguarda ainda um relatório da Agência Nacional da Água (ANA) sobre a previsão de enchente no próximo ano.

Atualmente o transporte de veículos e cargas é realizado por meio de balsas no rio Madeira. No ano passado, a região foi afetada com seca histórica, comprometendo o transporte pelo rio. Com informações Diário da Amazônia.

Curta nossa página no Facebook

Designed by ABCMIX Joomla Site Designer - 2015