Purus

Purus

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Informações, solicitação de vias e respostas para dúvidas poderão ser acessadas pelo celular a partir de hoje (21)


A partir desta terça-feira (21), o trabalhador brasileiro poderá ter as informações de Qualificação Civil e de Contratos de Trabalho que hoje constam na Carteira de Trabalho em um aplicativo móbile, desenvolvido a partir de uma parceria entre o Ministério do Trabalho e a Dataprev. A Carteira de Trabalho Digital poderá ser baixada em qualquer smartphone com sistema operacional Android ou IOS e funcionará como uma extensão do documento físico.

O objetivo é facilitar a vida dos trabalhadores que terão o documento à mão sempre que precisarem fazer uma consulta. Todas as experiências profissionais formais, as atuais e também as anteriores, estarão no aplicativo.

Também será possível, por essa mesma ferramenta, solicitar a primeira e a segunda via da carteira de trabalho física.

A caderneta da Carteira de Trabalho física continuará existindo e sendo o documento oficial do trabalhador.

Como baixar

- Para ter o documento digital, com todas as informações acessíveis no telefone, o trabalhador deve entrar na loja de aplicativos do telefone e procurar por “Carteira de Trabalho Digital” e baixar a ferramenta.

- A próxima tela são os informes. Em seguida, irá aparecer uma tela com quatro opções (Entrar, Solicitar 1ª via, Solicitar 2ª via, Perguntas Frequentes).

- Quem tiver a senha cadastrada no cidadão.br e Sine Fácil, precisará apenas colocar essa senha (será  mesma senha para os dois aplicativos). Neste caso, basta clicar em “Entrar”:

- Será necessário ler a política de privacidade, concordar e aceitar. Em seguida, será necessário digitar o CPF, a senha e clicar novamente em “Entrar”.

- Quem não tiver senha ainda, precisará criar uma, clicando em “Primeiro Acesso no cidadão.br” ou em “Cadastre-se”.

- Será necessário informar dados pessoais (CPF, nome, data de nascimento, nome da mãe, estado de nascimento (se for nascido no exterior, a opção será “Não sou brasileiro”). Essas informações serão validadas no Cadastro Nacional de Informações Sociais (Cnis). Caso estejam corretas, o trabalhador será direcionado a responder um questionário com cinco perguntas sobre seu histórico laboral. Por isso, é importante ter em mãos a Carteira de Trabalho física ao tentar instalar o aplicativo mobile. É preciso acertar pelo menos quatro das cinco perguntas. Em seguida, o trabalhador receberá uma senha provisória que deverá ser trocada no primeiro acesso. Caso o usuário não consiga acertar as respostas, terá de aguardar 24 horas para uma nova tentativa ou entrar em contato com a central 135 do INSS para auxílio.

- Pelo aplicativo da Carteira de Trabalho Digital, é possível também solicitar a 1ª e a 2ª via da carteira de Trabalho. As opções aparecem na terceira tela que se abre assim que o aplicativo é instalado. Nesse caso não é necessário passar pela autenticação. Basta clicar na opção desejada, preencher o formulário de pré-cadastro válido por 30 dias, e comparecer a um posto de atendimento para validar as informações e formalizar o pedido do documento.

Agendamento prévio

Algumas unidades de atendimento de emissão de CTPS requerem agendamento prévio. Para verificar se o posto de sua preferência tem essa obrigatoriedade o trabalhador pode entrar no link http://trabalho.gov.br/rede-de-atendimento.

Essa solicitação também pode ser feita pela internet, caso o trabalhador não queira baixar o aplicativo. O endereço é o https://precadastroctps.trabalho.gov.br.

Curta nossa página no Facebook

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O projeto dos dois encabeçamentos de acesso à ponte no rio Madeira, em Abunã, região de Porto Velho, ainda está em análise pela Superintendência do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit), em Brasília, e pode complicar o cronograma da obra. A preocupação é do presidente da Federação das Indústrias do Estado do Acre (Fieac), José Adriano Ribeiro, que cobrou a união de forças das bancadas de Rondônia e Acre.

“Não importa questões políticas. Temos um longo caminho a percorrer, que é essa adequação que precisa ser feita nas duas extremidades da ponte. Precisamos somar esforços com as instituições e empresários de Rondônia, por meio da FIERO, assim como dos nossos parlamentares, para ajudarmos a dar celeridade na aprovação desse projeto”, disse Ribeiro, que esteve no local da obra na última sexta-feira em visita com representante da Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (Fiero).

“Sabemos que um processo desse de adequação de uma obra, mesmo que ela seja estratégica, é comum demorar face a toda tramitação burocrática no Dnit. Temos que ser proativos e pressionar, pois não podemos ficar esperando por aprovação de projetos, tendo em vista que uma obra dessa envergadura precisa ser planejada e dimensionada visando as características que precisamos para ela ficar 100%, resolvendo assim nossos problemas de logística”, disse o presidente.

Visita

Além do presidente, estiveram no local representantes do comércio a e da indústria. A comitiva reuniu um total de 97 pessoas e objetivo foi acompanhar in loco o andamento das intervenções, que estão previstas para serem concluídas no segundo semestre de 2018.

Ao chegar ao local, o grupo foi recebido pelo engenheiro civil Cleyder Razzini, do consórcio Arteleste Enescil, responsável pela obra. Ele fez uma apresentação detalhada sobre o trabalho que está sendo executado e afirmou que, até o momento, há cerca de 59% de avanço físico na estrutura de concreto da obra.

“A previsão é de que, até o fim deste ano, estejamos com 70% de avanço físico na ponte, o que inclui a parte mais crítica da obra, que são as fundações. A primeira ordem de serviço foi emitida em fevereiro de 2015. O preço inicial era de R$ 128 milhões, porém, com as readequações no projeto que foram necessárias, o valor chega hoje a R$ 148 milhões. A obra tem empenhado R$ 101 milhões, com saldo a empenhar de R$ 47 milhões, previstos para o próximo ano”, explicou Razzini.

Segundo o engenheiro, no que diz respeito à divisão da obra em trechos navegáveis (que é a parte dos arcos da fundação) e o trecho convencional, os avanços já são consideráveis. “A parte do trecho convencional para quem vem de Rondônia tem 290,72 metros e está finalizada, a laje está concluída, as barreiras prontas, grade de passeio instalada, só falta colocar o asfalto. Já o lado de quem vem do Acre, falta só um vão de 35 metros, o que deve ser finalizado em dezembro. E na parte navegável, no total de 516 metros, estamos trabalhando nas fundações, já levantando blocos, pretendemos neste mês levantar pilar e até dezembro finalizar todas essas estacas. Somando os dois lados, temos quase 570 metros de laje acabada de obra”, pontuou.

Presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Rondônia (Sinduscon-RO) e diretor da FIERO, Emerson Fidel Campos esteve presente na visita à obra e reforçou a importância de toda a sociedade cobrar para que não haja atraso no prazo de conclusão da ponte.

“Todos os setores aqui representados, além das autoridades políticas, precisam ter compromisso em cobrar das autoridades para que não falte recurso para conclusão total da obra. Essa ponte, em pleno funcionamento, viabiliza totalmente a ligação com os países andinos, representa redução de custos de alimentos – algo que prejudica muito a população do Acre – e nos proporciona uma abertura maior de ligação dos dois Estados, ajudando toda a região Norte a crescer e se desenvolver”, destacou Campos.

Para Leandro Domingos, presidente da Fecomércio/AC, a ponte do Madeira é essencial para o desenvolvimento regional. “Vai facilitar muito a logística de transportes de Acre e Rondônia, inclusive a importação e exportação de produtos pelo Pacífico. Precisamos estar unidos nesse propósito”, frisou.

Parte do grupo que fez a visita à Ponte do Madeira irá elaborar um relatório com dados detalhados sobre o que a obra. A visita técnica contou com a presença do secretário de Indústria do Acre, Sibá Machado, e foi apoiada por representantes da Acisa, CREA-AC, CREA-RO, Sedens, ANTT, Sinduscon, Sincepav, Sindmóveis, Sindigraf, Sindoac, Setacre, CRC-AC, IDHA, CRA-AC, STICEEA, Creci-AC, Sintraterra, Ageac, Ascontacre, Associação dos Engenheiros do Acre, assim como acadêmicos do curso de Arquitetura e Urbanismo da FAAO e Uninorte. Com informações Diário da Amazônia.

Curta nossa página no Facebook

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O Instituto Federal do Acre (Ifac) está com inscrições abertas para o processo seletivo para ingresso no curso de pós-graduação Lato Sensu em Educação Profissional, Científica e Tecnológica. A especialização, ofertada pelo campus Rio Branco, terá carga horária de 360 horas, com aulas presenciais às sextas e sábados. O prazo para inscrições se encerra em 17 de novembro de 2017.

As inscrições devem ser feitas no site do Ifac com o preenchimento do formulário disponível no link https://goo.gl/zGj2iJ. Em seguida, é necessário enviar o Memorial Descritivo (conforme modelo disponibilizado no Anexo I do edital) e o Currículo Lattes para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

O processo seletivo será dividido em duas fases, sendo a primeira de avaliação do Memorial Descritivo e Currículo Lattes e a segunda fase de entrevista.

Serão ofertadas 30 vagas para pessoas com Formação Superior, em qualquer área, em curso reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).

Especialização

O curso de Educação Profissional, Científica e Tecnológica visa à execução de uma proposta de qualificação permanente de excelência para os diversos atores da Educação Profissional Científica e Tecnológica (EPCT), com vista na construção de conhecimentos e práticas revolucionárias das atividades de ensino, pesquisa e extensão, bem como na formulação e gestão de políticas públicas para a Educação Profissional, Científica e Tecnológica.

O curso está organizado em 15 disciplinas e será desenvolvido na modalidade presencial de ensino, contemplando, pelo menos, 30 encontros presenciais. Os encontros presenciais ocorrerão quinzenalmente no campus Rio Branco, com realização das aulas na sexta-feira (período noturno) e sábado (períodos matutino e vespertino). O início das aulas está previsto para o semestre 2018.1.

Curta nossa página no Facebook

Designed by ABCMIX Joomla Site Designer - 2015