Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *

Boca do Acre

Boca do Acre

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
BR-317 e orla fluvial são obras que o  Governo diz ter concluído no município
orla fluvial de boca do acre

Na semana passada o site do Governo do Amazonas publicou duas reportagens falando sobre a conclusão de obras e serviços no interior do Estado, incluindo Boca do Acre. As informações davam conta principalmente de uma suposta finalização dos trabalhos na BR-317, estrada que liga o município ao Acre. Conforme as informações, "as obras de construção e pavimentação da BR-317, realizadas pelo Governo do Estado do Amazonas, estão sendo  finalizadas no segmento 1 (próximo a Boca Acre). Os segmentos 2 e 3 já estão concluídos".

Ainda conforme o veículo de comunicação estatal, a "responsável pelas obras, a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) deve entregar o trecho que falta até o final do ano, quando o Departamento de Infraestrutura de Transporte (DNIT) fará a fiscalização".

Confira mais trechos da reportagem

De acordo com a secretaria de Estado de Infraestrutura, Waldivia Alencar, o convênio previa a execução de 100 quilômetros de rodovia. Entretanto, devido ao não licenciamento das obras, nos locais que passam por dentro das reservas indígenas, foram executados 65 quilômetros, divididos em três segmentos.

“Executamos toda a obra, fora as que passam nas reservas indígenas, e agora resta a finalização do último segmento”, explica a titular da Seinfra.

Para a secretária de Infraestrutura, a comunicação e o transporte em uma região como a amazônica representam um desafio, por isso enfatiza a importância da BR-317. “Ao encararmos esse desafio com responsabilidade, com certeza damos um passo para promover fluxo de riquezas e integração maior entre os estados e os municípios da região”, concluiu.

Que conclusão é essa?

O serviço a que a secretária de Infraestrutura se refere é a manutenção dos trechos de estrada de chão, que estão dentro das duas reservas indígenas e nos 10 quilômetros restantes para chegar à divisa com o estado do Acre. Quando a titular da pasta fala de finalização dos serviços, ela também se reporta ao trabalho de reconstrução dos trechos que haviam sido asfaltados e apresentaram falhas em toda a estrutura da rodovia.

Orla

O Governo do Amazonas  firmou convênio para realizar obras e serviços de engenharia de contenção dos processos erosivos graves nas orlas de 25 municípios, em 30. Em Carauari, os serviços estão finalizados. Em Manacapuru, Guajará e Boca do Acre, a primeira etapa dos trabalhos está concluída. As cidades de Itacoatiara, Nhamundá, Eirunepé e Manicoré estão com os trabalhos adiantados.

As obras nas orlas dos municípios são responsabilidade da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), que está acompanhando os serviços para que o cronograma seja cumprido. A secretária de Estado de Infraestrutura, Waldivia Alencar, explica que o trabalho para conter a erosão consiste em recuperar o barranco e requalificar as orlas. Segundo ela, é dado um tratamento ao terreno para impedir o desbarrancamento, que é o fenômeno das “terras caídas”, quando a correnteza destrói o solo nas margens do rio.

“O objetivo do trabalho para contenção dos processos erosivos é reduzir danos causados pelas águas e requalificar a orla dos municípios, que também servem como atração turística de cada lugar”, avalia.

Ainda segundo a secretária, algumas obras não começaram por causa das enchentes e do não repasse dos valores dos convênios, e adiantou que a Seinfra está trabalhando para agilizar o início dessas obras.

Anamã, Anori, Atalaia do Norte, Barreirinha, Careiro da Várzea, Parintins, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença, Tabatinga, Tefé, Tonantins, Canutama, Carauari, Humaitá, Ipixuna, Nova Olinda do Norte e Pauiní são os municípios que estão incluídos nesse quesito.

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
Asfaltamento das ruas da cidade administrativa não tem data para reiniciar.
ruas do piquiá

Com o fim do período chuvoso e com o trabalho da Secretaria Municipal de Obras tapando buraco com material natural (barro) nas ruas do Piquiá, o resultado é o retorno das famosas nuvens de poeira. Quem não concorda com a situação e reclama veementemente são os moradores, que dizem não suportar mais respirar tanta poeira, principalmente nas ruas que um dia tiveram a presença do asfalto.

De acordo com a funcionária pública, que não quis revelar o nome, a situação está calamitosa. “A poeira invade a minha casa toda hora, não adianta fechar portas e janelas, quando chego do trabalho os móveis e toda a casa está tomada pela poeira, pelo barro”, expôs a mulher sensivelmente indignada.

“Gostaria de saber onde está essa empresa que estava asfaltando Boca do Acre, nós estamos abandonados, jogados literalmente à poeira”, desabafou a funcionária.

A empresa Vila Engenharia, que venceu a licitação em 2013 para fazer o serviço de recuperação do sistema viário de Boca do Acre ainda não deu sinal de que vai reiniciar os trabalhos. Grande parte do maquinário da empreiteira foi destinado para Pauini, município vizinho de Boca do Acre, local onde está sendo realizado o mesmo serviço.

Entramos em contato com a Secretaria Municipal de Obras, para saber a respeito do reinício dos trabalhos. Conforme informações do secretário de Obras, Edygley Melo, não há informações sobre o retorno da Vila Engenharia para o canteiro de obras.

“A última conversa que ouvi foi que seria feito (asfaltamento), mas com essa crise, não posso te afirmar”, disse Melo.

A Vila Engenharia concretou grande parte das vias da cidade baixa e asfaltou uma única via. No Piquiá o asfaltamento compreendeu não mais do que quatro ruas.

Sobre as ruas do Platô, Edygley disse que a pasta de Obras está fazendo um serviço de levantamento e piçarramento, para servir de base para o asfalto. De acordo com o secretário, quando o trabalho for encerrado, as máquinas serão direcionadas para o Maria Leopoldina.

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Designed by ABCMIX Joomla Site Designer - 2015