Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *

Melhores notícias

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
FOTO: JOSÉ RODRIGUES

Seis mil ribeirinhos de Lábrea serão atendidos pela Unidade Básica de Saúde (UBS Fluvial) da prefeitura, no mês de dezembro. No final de novembro, a embarcação segue por um 'tour médico' em dezenas de comunidades ao longo da calha do rio Purus.

Médicos, dentistas, enfermeiros, agentes de saúde, laboratoristas, enfim, o essencial de profissionais e equipamentos para análise, atendimento clínico e cirurgias de emergência de baixa complexidade, estarão à disposição das famílias rurais do município.

Curta nossa página no Facebook

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
JIU-JITSU EM BOCA DO ACRE
FOTO: AGOSTINHO ALVES

Já são quatro anos de atividades em Boca do Acre, iniciados pelo faixa marrom João Neto. Nesse tempo a arte suave tem se expandido na cidade, ganhado adeptos de todas as faixas etárias e da criança ao adulto comparecem ao espaço dedicado ao jiu-jitsu, trabalhando o físico e a mente, praticando esporte e cidadania.

O projeto tem recebido o auxílio luxuoso de atletas de alto desempenho, que competem no Brasil e no exterior, elevando ainda mais o nível do esporte em Boca do Acre. Um deles é o mestre Rafael Magalhães, 32 anos, faixa preta, natural de do estado de São Paulo. Para ele, o projeto consiste em ajudar as crianças e às pessoas em geral a seguir um caminho melhor. Magalhães elogiou o desenvolvimento e o profissionalismo do esporte em Boca do Acre.

“O nosso objetivo é viver em um ambiente de comunhão e união. A principal filosofia é ensinar o indivíduo a ser um lutador fora do tatame, como forma de aprender a enfrentar os obstáculos com mais calma e determinação”, ressaltou o mestre Magalhães.

Quem também colabora é o empresário Lucas Oliveira, faixa marrom. Junto com ele, uma espécie de parceiro inseparável do projeto está o mestre Salarram, faixa preta e praticamente das artes marciais a 29 anos. Para Salarram, praticar o jiu-jitsu significa além do ganho físico, a moldagem do campo comportamental da pessoa.

O idealizador do projeto em Boca do Acre, João Neto, relata que tudo surgiu da necessidade de cuidar da saúde, depois de trabalhar com as diferentes faixas etárias, como necessidade de reeducar. Os trabalhos começaram no final de 2013 e de lá para cá, muitas pessoas têm contribuído com o crescimento do projeto.

João destacou a colaboração e dedicação do odontólogo Andrei Lima e do advogado Alysson Lima, que cedem o espaço. Neto convida a quem quiser fazer parte do projeto, que compareça ao segundo piso da clínica Spaço Profissional, no Platô do Piquiá, de segunda a sexta-feira, a partir das sete horas da noite. O investimento inicial é adquirir um quimono, a roupa adequada para a prática do esporte.

O advogado Alysson Lima, praticante do esporte há bastante tempo, disse que como todo esporte, o que espera sempre é qualidade de vida e comunhão, especialmente o jiu-jitsu, que segundo ele, é uma arte marcial usada como disciplina para o corpo e para a mente.

O esporte tem a adesão também das mulheres. Aline Belchior, 26 anos, disse que com a prática da arte suave, houve uma melhora significativa nos ambientes físico e social, pois a convivência em casa e perseverança na superação dos problemas se tornaram marcas de sua nova vida depois que o esporte começou a fazer parte do seu cotidiano.

Curta nossa página no Facebook

 

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
perfil falso
FOTO: INTERNET

As redes sociais tornaram-se um autêntico fenômeno de popularidade que se confundem com o próprio conceito de internet para vários brasileiros. Se por um lado esta nova forma de comunicação propicia surgimento de vários negócios, amizades, relacionamentos e até casamentos, por outro, tem sido cenário para a prática de inúmeros abusos previstos na nossa legislação.

Porém, o perfil exibicionista do brasileiro vem causando diversos problemas durante a interatividade online. A incidência dos perfis falsos, também conhecidos como fakes, tem aumentado e por este motivo tem sido recorrente o uso não autorizado de imagens de terceiros, divulgando conteúdos que atacam a honra, expondo as pessoas ao ridículo, e, por estes motivos, em alguns casos, poderão ser punidos pela legislação brasileira.

Mas afinal, ter um perfil falso na internet é crime?

Para responder a esta pergunta é preciso identificar que a criação dos fakes, em regra se manifesta de duas formas distintas.

A primeira delas o internauta tem o intuito de buscar o anonimato para abordar terceiros se passando por uma pessoa fictícia, seja do mesmo sexo ou não. Esta prática resulta da escolha uma imagem de uma pessoa desconhecida para atribuí-la ao seu perfil falso. Já existem sites especializados na oferta de uma ampla seleção de fotos de terceiros de acordo com diferentes perfis para esta finalidade.

Tal prática não é crime, pois o internauta pode estar apenas infringindo alguma regra dos Termos de Serviço do site de relacionamento, que obriga o criador do perfil zelar pela integridade dos dados cadastrais. Se houver alguma denúncia de abuso o infrator poderá ter o seu perfil excluído. Caso não existam meios para comprovar a incidência de danos a imagem do terceiro que teve sua foto utilizada, está descartada a possibilidade de indenização pela prática deste ato.

Portanto, criar um perfil falso, de alguém que não existe, só para preservar sua identidade durante os relacionamentos na internet, sem que esta prática não tenha causado dano, não é crime, mas pode ensejar a quem pratica, sua remoção por infração as condições estipuladas para a prestação do serviço, e, eventualmente, suportar uma indenização se houver meios desta comprovação.

Mas se o fake é criado a partir de uma pessoa real, viva ou morta, o responsável poderá cometer o crime de falsidade ideológica. O ato de incorporar a personalidade de outras pessoas e manifestar em nome de outrem, inserindo declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, com o fim de prejudicar direito, criar obrigação ou alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante é crime de falsidade ideológica.

É importante registrar que sempre há um limite entre a diversão e o abuso. Quem opta por criar perfis fakes nas redes sociais para buscar o anonimato tecnológico pode ultrapassar o limite e cometer crimes contra a honra tais como calúnia, difamação e injúria. A mesma prática pode incorrer também em crime de falsa identidade quando atribuir-se ou atribuir à terceiro falsa identidade para obter vantagem, em proveito próprio ou alheio, ou para causar dano a outrem. Além disso, poderá incidir a repercussão cível em que a pessoa lesada poderá requerer ressarcimento em danos morais pelo dano causado.

Outra situação comum é a utilização de imagens de terceiros. O direito à imagem é um dos direitos da personalidade previsto pelo Código Civil. A utilização de uma foto de outra pessoa em seu perfil viola o direito de imagem já que só é permitido usar fotos se a pessoa fotografada fornecer autorização por escrito. Nossa CF já prevê em seu artigo 5°, inciso X que:

“são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação, bem como é possível a livre manifestação do pensamento, desde que se faça sem a proteção do anonimato.”

Vários casos em que as pessoas extrapolam o limite, estão sendo apreciados pelo Judiciário, e a justiça brasileira tem punido os responsáveis. A punição poderá alcançar inclusive o provedor de conteúdo. Nos casos de danos causados pela incidência de perfis falsos, o Google é processado por fornecer suporte tecnológico e favorecer para a prática do ilícito.

E se houver ameaça?

No Brasil é permitido falar o que quiser, na hora que quiser, sobre o quiser (pelo menos em teoria...) - desde que não seja no anonimato. Quem disso isto? A Constituição Federal em seu artigo 5º, IV:

“...é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato.”

Entretanto, o que vemos nas redes sociais é uma chuva de Fakes criados para cometer crimes como o Calúnia, Difamação ou Injúria e o de Ameaça.

Os crimes de ameaça, calúnia, difamação ou injúria – bem como o de falsa identidade – dependem da queixa da vítima, pois é uma ação condicionada – isto é: necessita da representação do ofendido. Estes crimes devem ser denunciados pela vítima na delegacia “comum” de sua cidade ou numa delegacia especializada em crimes cibernéticos.

O que ter em mãos?

Tenha provas! Salve o conteúdo das ofensas – o famoso Print – salve a URL de onde as ofensas foram feitas – no caso o endereço da postagem no Facebook, por exemplo – salve também o endereço do perfil Fake.

Como resolver o problema?

Na maioria dos casos as opções existentes nos serviços de denunciar abuso não funcionam como deviam. Ou seja, nem sempre o gestor do site retira o conteúdo do ar, e, quando isto acontece, não fornece os registros eletrônicos que ajudariam a identificar a autoria do ilícito. Este procedimento estimula a impunidade e os incidentes acabam se repetindo posteriormente. Em decorrência desta postura é recomendável sempre que seja ajuizada ação cabível para a retirada do conteúdo cumulada com eventuais danos caso existam.

Como se vê nem sempre a prática de criar perfis falsos poderá ser caracterizada como uma conduta criminosa pela legislação brasileira. Mas esta conduta pode se transformar em um campo minado onde o internauta terá que tomar muito cuidado para não ultrapassar o limite da sua diversão, sob pena de ser punidos pelo judiciário.

Curta nossa página no Facebook

 

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Trabalho para citação das partes que deverão comparecer às audiências de conciliação deve ser concluído nesta semana.

Rafael
FOTO: JUIZ RAFAEL ALMEIDA CRÓ BRITO

Mais uma Comarca do interior do Estado divulgou o quantitativo de processos pautados para a Semana Nacional de Conciliação 2017, que acontece de 27 deste mês a 1º de dezembro nos Tribunais de Justiça de todo o País. A Vara Única do Fórum Desembargador João Meirelles, de Pauini, está com 193 audiências pautadas para o período, 131 delas na área de Juizado Especial Cível e 62, na área de Família.

De acordo com o juiz Rafael Almeida Cró, titular da 1ª Vara da Comarca de Maués e respondendo cumulativamente pela de Pauini, o trabalho para citação das partes que deverão participar das audiências está bastante adiantado e já deve ser concluído em meados desta semana. "Os servidores fizeram um esforço concentrado, atuaram com o oficial de Justiça no sentido de localizar e citar as partes no maior numero possível de processos que têm potencial para a conciliação e estamos na expectativa de fechar as atividades da SNC deste ano com um bom resultado em termos de acordos", disse o magistrado.

VALMIR
FOTO: ANTÔNIO VALMIR BEZERRA DE LIMA

O diretor de secretaria da Vara Única do Fórum Desembargador João Meirelles, Antonio Valmir Lima, explica que o número de audiências pautadas para a SNC 2017 foi considerado bastante expressivo, representando quase o dobro do ano passado, quando foram pautadas aproximadamente 100 audiências para o período da campanha. Segundo ele, a maioria dos da área do Juizado Especial Cível pautada para o período trata de cobrança de dívidas. Já os tema  prevalentes dos processo da área de Família  são: pensão alimentícia e investigação de paternidade.  

A  Semana Nacional de Conciliação é uma iniciativa do Conselho Nacional de Justiça, que chega este ano a sua décima segunda edição e envolve os Tribunais de Justiça, Tribunais do Trabalho e Tribunais Federais. A ação tem  a finalidade de fortalecer o conceito de conciliação a agilizar o andamento dos processos que demonstrar ter possibilidade de acordo entre as partes.

Curta nossa página no Facebook

 

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
samily vitória
FOTO: SEDUC/AM

A pequena Samily Vitória, 10 anos de idade, aluna do 5º ano da escola estadual José Leite, foi homenageada na capital amazonense, no dia 31 de outubro, depois de ter sido declarada vencedora da I Olimpíada de Língua Portuguesa Amazonense, na categoria Poema. Samily recebeu o prêmio e um certificado no auditório do SEPAM, em Manaus.

A representante de Boca do Acre estava junto com outros quatro estudantes que também lograram êxito em suas produções textuais e venceram em suas categorias.

A aluna foi para Manaus acompanhada de sua mãe, de seu professor, Daniel Laurentino e da coordenadora regional de Educação de Boca do Acre, Francilene Silva de Noronha.

Momento de júbilo

Daniel conversou com nossa reportagem e falou a respeito do feito, que para ele é motivo de orgulho e alegria. Para o professor, participar da olímpiada foi uma experiência muito enriquecedora.

“Através da olimpíada nós pudemos inserir as crianças no contexto de vivência com o gênero poema, e o poema como é um gênero que encanta, fez com que as crianças se envolvessem com outros poemas e conhecer a biografias de autores que contribuíram. Com isso os alunos foram levados a produzir seus próprios textos”, disse o professor.

“O momento de produção foi muito importante, de muito trabalho, levado à exaustão, pois cada linha produzida eles (alunos) queriam mostrar para o professor. Fizemos revisão, leitura e orientação na melhora das rimas, posicionamento dos versos”, ressalta Daniel.

“Todo o esforço valeu à pena, pois todos nós aprendemos, todos crescemos. Conseguimos ficar na final e nos sagramos vencedores. Foi um momento de júbilo, pois vimos cada um dos alunos felizes com o resultado que agradou a todos”, reforça.

“Tivemos auxílio da coordenadoria, que esteve sempre ao nosso lado, assim coimo a gestão da escola e os pedagogos. Sou muito grato a Deus por tudo o que conseguimos e o que vivemos”, lembra Laurentino.

Palavras da vencedora

A pequena Samily falou conosco a respeito do feito. “Participar da olimpíada foi uma experiência muito gratificante. Através da oficina de produção textual eu aprendi muito sobre o gênero poema e seus recursos. Aprendi a admirar a beleza natural da minha cidade, sobretudo do meu Amazonas. Estou muito feliz com o resultado do meu trabalho e agradecida a todos que contribuíram para esse fim”, falou a aluna.

Curta nossa página no Facebook

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
pauini
FOTO: ROMÁRIO VIEIRA

Com a finalidade de facilitar o processo de trabalho oferecendo melhor desempenho às atividades dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS)    propiciando agilidade e integração dos profissionais durante as visitas domiciliares, eliminando o preenchimento de fichas de maneira manual, o governo municipal de Pauini, na administração da prefeita Eliana Amorim, através da Secretaria Municipal de Saúde, sob a responsabilidade da Secretária de Saúde Simone Mourão, por meio de um processo licitatório fez aquisição de 59 tabletes e uniformes para a equipe dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS).

PAUINIA responsável pela pasta parabenizou a equipe e ressaltou que o trabalho do município está em conformidade com as exigências e orientações do Ministério da Saúde. "Hoje o momento é de grande satisfação por está proporcionando uma ferramenta de suma importância aos nossos Agentes Comunitários de Saúde (ACS). São eles que estão no cotidiano levando sempre um serviço de qualidade no atendimento e acolhimento do nosso povo. Por isso precisam ser valorizados", discorreu a Secretária.

"É um momento de muita alegria receber um material dessa magnitude para o trabalho realizado no dia-a-dia na comunidade. Sinto-me felizardo. Agradeço a Deus em primeiro lugar por essa conquista, sou grato também à prefeita e principalmente a parceria dessa excelente profissional que é a Secretária de Saúde Simone Mourão", frisou o Agente Antônio Agir.

Vale destacar que primeira etapa desses equipamentos foram para os Agentes da zona urbana da cidade, enquanto a segunda etapa aos Agentes da zona rural.

Há mais de dez meses a secretaria de saúde tem prestado relevantes serviços à frente da pasta. À reportagem vários populares salientaram que a Secretaria de Saúde tem desenvolvido em prol da população um bom trabalho no que concerne a saúde pública. "Parabéns, secretária de saúde pela sua contribuição nesse período de tempo. Es uma gestora de pulso firme", destacou um morador.

Curta nossa página no Facebook

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
melhores do ano 2017
FOTO: JORBSON RODRIGUES

A tradicional festa realizada todo fim de ano, de iniciativa de pessoas e instituições diferentes, vai acontecer no próximo sábado (18), no buffet Kampos Beer e pretende homenagear os destaques do ano de 2017, nos diferentes segmentos sociais.

Conversamos com o organizador desta edição, Jorbison Rodrigues, que entre outros assuntos, falou do objetivo do acontecimento. “A Iniciativa da retomada de premiar os Melhores do Ano, se dá pela valorização e incentivo do setor empresarial e profissionais liberais dos mais diversos segmentos de atuação na sociedade, são eles os responsáveis direto pelo o giro rápido de nossa economia local, além de gerar emprego e renda no município. A premiação tem o objetivo de reconhecer o trabalho e o talento de pessoas, instituições e empresas que se destacaram nas suas áreas de atuação em 2017”, disse o promotor da festa.

As instituições públicas serão homenageadas em 2017, o que, segundo Rodrigues, é o grande diferencial de edições passadas. “O diferencial dessa edição do Melhores do Ano, é homenagear as instituições públicas que têm a sua importante contribuição para o desenvolvimento de Boca do Acre. Pela primeira vez essas instituições irão receber um prêmio de reconhecimento pelo o serviço prestado à nossa comunidade, por este motivo para mim, será uma justa homenagem”, destacou.

Jorbison explicou como ocorrerá o processo de eleição dos melhores do ano. “Os destaques populares serão divididos por cada área de atuação, e farei com a maior transparência possível para premiar a empresa que realmente foi destaque do ano”, reforçou.

“O processo de votação será feito por uma pesquisa popular, onde pessoas voluntariamente serão convidadas a responder sobre os destaques das categorias que estão concorrendo como melhor do ano. A pesquisa irá atuar em locais de grande circulação comercial para obtermos maior número de opiniões diversas”, detalhou.

Concorrentes

O melhor do ano vai eleger: Supermercado - Salão de Beleza - Sorveteria - Lanchonete - Restaurante - Panificadora - Consultório Odontológico - Clínica Particular - Advogado - Taxista - Clube de festa - Bares - Músico - Cantor popular - Cantor Gospel - Posto de Combustível - Hotel - Lojas de Móveis - loja agropecuária - Drogaria - Transporte Expresso - Transporte em Logística - Distribuidora de Alimentos - Distribuidora de Gás - Oficina Auto Elétrica - Oficina Mecânica - Médico - Escola Particular Infantil - Loja Boutique - Loja Moda Masculina e Feminina - Academia - Revenda de Motos, peças, acessórios e oficina - Gráfica digital - Malharia - Secretário Municipal - Loja Infanto-juvenil - Clube de Lazer - Buffet - Ornamentação de Eventos.

O evento é realizado pelo o Locutor Jorbison Rodrigues Entretenimento. Após a entrega dos troféus, será oferecido um jantar, seguido de um baile, com show de Skema 3, Fred do Arrocha e Dj Imeglitty.

Os ingressos antecipados estão sendo vencidos a R$ 15,00 na drogaria J.Santana.

Curta nossa página no Facebook

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
Foto: Ney Xavier

O deputado Adjuto Afonso (PDT) denunciou, nesta terça-feira, 14, no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), a falta de credenciamento de estabelecimentos de saúde do Sistema Hapvida no interior do Amazonas, especificamente nos municípios do Sul do Estado. O parlamentar repercutiu a informação repassada por vereadores de Boca do Acre (a 1028 km da capital), que informaram sobre um convênio firmado entre a empresa e a Secretaria de Estado da Educação e Qualidade do Ensino do Amazonas (Seduc), há dois anos, mas que não presta assistência aos profissionais de educação.

O deputado enviou Requerimento à Mesa Diretora solicitando que a Seduc tome providências de imediato junto à Hapvida. "A pedido da Câmara de Boca do Acre, do presidente Adautivo e dos vereadores que aqui estão, estou apresentando um Requerimento para ser deferido pela Mesa, e que chegue o mais rápido possível às mãos do secretário de educação para que possa corrigir um erro", disse Adjuto Afonso.

O parlamentar avaliou que o convênio foi equivocado e que o Estado está no prejuízo, já que paga o valor e os profissionais da educação daquela região não estão tendo acesso aos serviços indisponíveis, inclusive, nas capitais dos Estados vizinhos, como Rio Branco (AC) e Porto Velho (RO), mais próximas dos municípios do que Manaus.

"No meu entender um erro quando fizeram esse convênio com a Hapvida, que não pode atender as pessoas do interior do Estado. É necessário que a empresa credencie o mais rápido possível profissionais da saúde nessas capitais, por conta da logística difícil para Manaus, para que as pessoas que residam em Boca do Acre, Pauini, Humaitá e municípios fronteiriços possam ter atendimento. O que não pode é as pessoas terem que pagar passagem, saírem dos seus municípios para vir pra Manaus", ressaltou o deputado.

O presidente da Câmara de Boca do Acre, Adautivo da Silva (PP), acompanhado dos vereadores Lima do São Paulo (PSD) e Edmilson (PSD), estão desde o início da semana na capital, onde já estiveram na sede da Seduc. Na manhã desta terça-feira acompanharam a Sessão Plenária, e o presidente concedeu entrevista à TV Aleam sobre a situação.

"O Estado do Amazonas de forma pioneira firmou um convênio com o plano de saúde da Hapvida para os servidores da educação, porém, os que residem nos municípios distantes, por exemplo, Boca do Acre, Pauini, Lábrea, Humaitá, Envira, infelizmente não estão usufruindo desse benefício, alguns tem que se deslocar até Manaus, que fica muito distante. Boca do Acre está localizada há mais de mil quilômetros de distância da capital, alguns tem que se deslocar até Rio Branco, Porto Velho até chegar à Manaus", enfatizou o presidente da Câmara, Adautivo.

O deputado Adjuto Afonso parabenizou a iniciativa dos vereadores de Boca do Acre e se comprometeu em acompanhar a situação até que seja resolvida.

Curta nossa página no Facebook

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Para organizações responsáveis pela publicação, o caminho já existe, mas é preciso que governos e empresas se comprometam em eliminar, no curto prazo, qualquer forma de desmatamento

FLORESTA DO JAMANXIM
Foto aérea mostra desmatamento ilegal na Floresta Nacional do Jamanxim

O Grupo de Trabalho (GT) pelo Desmatamento Zero – composto pelas ONGs Greenpeace, Instituto Centro de Vida, Imaflora, Imazon, Instituto Socioambiental, IPAM, TNC e WWF – lançou nesta segunda-feira (13), na COP23, em Bonn, o relatório “Desmatamento zero na Amazônia: como e por que chegar lá”. No estudo, as organizações indicam caminhos para eliminar, no curto prazo, o desmatamento na Amazônia, com benefícios ambientais, econômicos e sociais para todos.

No documento, o GT defende que não há mais justificativas para a destruição da vegetação nativa do Brasil. Continuar desmatando resulta em desequilíbrio do clima, destrói a biodiversidade e os recursos hídricos, traz prejuízos à saúde humana e, ao contrário do que muitos acreditam, compromete a competitividade da produção agropecuária. Em 2016 o desmatamento na Amazônia, sozinho, foi responsável por 26% das emissões domésticas de gases do efeito estufa. Zerar o desmatamento, é portanto, a forma mais rápida e fácil de reduzir emissões e cumprir com o acordo de Paris.

A boa notícia é que o Brasil já conhece o caminho para o desmatamento zero e sabe como chegar lá. “As medidas implementadas nos últimos anos (2005-2012) derrubaram as taxas de desmatamento na Amazônia em cerca de 70% e indicam que os elementos necessários para atingir o desmatamento zero se encontram presentes”, destaca a publicação.

“O Brasil já sabe o caminho para chegar ao desmatamento zero, mas tem seguido na direção oposta. Temer e o Congresso vêm discutindo e aprovando medidas que incentivam ainda mais desmatamento, grilagem e violência no campo. Caso ações não sejam tomadas urgentemente, o cenário é de permanência de altas taxas de desmatamento na Amazônia”, comenta Cristiane Mazzetti, especialista em Amazônia do Greenpeace Brasil. “O caminho existe, mas é preciso que governos e empresas se comprometam seriamente em transformar as ações propostas no documento em realidade, eliminando qualquer forma de desmatamento no curto prazo”, complementa.

“Milhares de pessoas morrem ou adoecem por ano por causa da fumaça das queimadas associadas ao desmatamento. Já sabemos o que fazer para zerar o desmatamento e salvar estas vidas e evitar as doenças. Agora é preciso coragem para agir”, Paulo Barreto, pesquisador sênior do Imazon.

“O fim do desmatamento na Amazônia e a conservação florestal representam atualmente o melhor investimento que a agricultura pode fazer a favor de sua produtividade futura. Florestas são grandes sistemas de irrigação da lavoura. Não é só produzir sem desmatar, mas sim produzir mais e melhor, conservando as florestas da região”, Paulo Moutinho, pesquisador sênio do IPAM.

A trilha para o desmatamento zero, de acordo com as organizações, envolve diversos setores e passa, necessariamente, por quatro eixos de implementação de políticas públicas ambientais efetivas e perenes;
apoio a usos sustentáveis da floresta e melhores práticas agropecuárias;
restrição drástica do mercado para produtos associados a novos desmatamentos;
Engajamento de eleitores, consumidores e investidores nos esforços de zerar o desmatamento.

Para o GT, mudanças no sistema de produção agropecuária, combate à grilagem de terras públicas, atuação do mercado e estímulo à economia florestal estão entre as ações mais urgentes para zerar o desmatamento, indicados no estudo:

A agropecuária pode continuar a contribuir para a economia produzindo nas áreas já desmatadas. Só na Amazônia há 10 milhões de hectares de pastagens abandonadas ou mal aproveitadas, que poderiam ser usadas para a ampliação da produção de carne e grãos.
Em 2016, pelo menos 24% do desmatamento se concentrou em áreas públicas sem destinação. Hoje há 70 milhões de hectares não destinados na Amazônia, que precisam ser convertidos em terras indígenas e unidades de conservação para frear o desmatamento especulativo.
O estímulo à economia florestal por meio de programas de governo também precisa ser ampliado. A extração de produtos florestais rendeu cerca de R$ 3 bilhões na média de 2015 e 2016, dos quais R$ 1,8 bilhão são oriundos da exploração de madeira e 537 milhões de extração de açaí.
Promover incentivos positivos para aqueles que conservam florestas além da exigência Além de ampliar as ações de comando e controle, que continuam sendo fundamentais, é imprescindível aumentar a eficácia na punição de crimes O setor privado deve ampliar esforços no monitoramento completo das cadeias produtivas e bloqueio de produtores que desmatam. Neste caminho, a transparência total de dados socioambientais pelos governos é fundamental.

O relatório reforça, ainda, a importância da mobilização da sociedade contra as tentativas recentes de enfraquecer a proteção florestal, como a flexibilização do licenciamento ambiental, a redução da proteção de Unidades de Conservação, a paralisação dos processos de demarcação de Terras Indígenas e a anistia de grilagem de terras públicas – gerando um lucro de R$ 19 bilhões para grileiros.

Confira aqui o sumário executivo

Confira aqui o relatório completo

Curta nossa página no Facebook

 

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Na semana passada, a Polícia Militar realizou duas importantes ações de recuperação de produtos furtados. A primeira ocorreu no dia 8 de novembro, quando os policiais prenderam Tony César Santos de Araújo, 29 anos, suspeito de ter furtado e vendido um motor de polpa 5,5 HP, da marca HONDA.

moto recuperada
FOTO: POLÍCIA MILITAR


No dia 11, outra guarnição recuperou uma motocicleta Honda NXR 160 ESD de cor vermelha, placa NXR- 6906, ano 2015, com restrição de roubo. Segundo relatos da PM, quando o condutor que dirigia a moto roubada avistou a Polícia Militar, evadiu-se à pé tomando rumo ignorado. A moto apreendida foi apresentada no 61º DIP para as providências cabíveis.

Curta nossa página no Facebook

 

Designed by ABCMIX Joomla Site Designer - 2015